wintersoldier empire cap stand
Chris Evans como o Capitão América.

Uma coisa são as histórias na ficção. Outras a realidade. Embora todos amem a versão do Capitão América interpretada por Chris Evans nos filmes do Marvel Studios, uma realidade é inexorável: em algum momento, o ator irá abandonar o papel. E pode estar mais próximo do que pensamos: pode ser logo após Vingadores 4.

Quando contratado pela Marvel em 2009, Chris Evans assinou um contrato para seis filmes e o mesmo se encerraria com Vingadores – Guerra Infinita, que já está sendo gravado, para lançamento no ano que vem. Contudo, o estúdio decidiu transformar este em dois longametragens distintos, o que já excedia o contrato do ator e foi preciso uma negociação para que assinasse para mais um. Questionado sobre porque fez isso, enquanto fazia a promoção do filme Gifted no Reino Unido, Evans disse:

Eu tinha seis filmes no meu contrato com a Marvel, então, poderia ter dito que, depois do terceiro filme dos Vingadores, estava encerrado. Mas eles queriam fazer o terceiro e o quarto Vingadores como um filme de duas partes. Disseram que tinham tantos personagens para encaixar – Guardiões da Galáxia, Pantera Negra, Capitã Marvel, Doutor Estranho, Homem-Formiga – e não poderiam fazer tudo isso em um único filme. Fazia sentido [renovar o contrato]. Vai encerrar tudo.

Quando diz que “vai encerrar tudo”, Evans dá a entender que seu contrato com a Marvel realmente se encerra aí. No passado, o ator já manifestou o interesse em abandonar a carreira de performer para passar para detrás das câmeras, como diretor. E não é a primeira vez que deixa no ar que irá deixar o papel de Steve Rogers para trás depois desse ciclo.

O que resta saber é o que a Marvel irá fazer depois disso. Irá matar o personagem? (Torcemos que não!). Colocará um novo ator para encarnar o Capitão?

Os fãs parecem não querer muito pensar sobre isso. A própria imprensa especializada, quando fala no assunto, sempre se questiona se a Marvel matará Steve Rogers e, seguindo uma tradição que existe nos quadrinhos, colocará algum substituto usando o uniforme do Capitão América, como Bucky Barnes (o Soldado Invernal) ou Sam Wilson (o Falcão). 

Embora colocar outro personagem para ser o Capitão América possa ter algum peso dramático para lidar com a ideia de legado, por outro lado, o cinema tem um histórico de simplesmente trocar de atores. Os fãs atuais parecem avessos à ideia, mas é preciso pensar que Chris Evans não é o Capitão América, apenas o ator que o interpreta nesses filmes.

Substituir um ator para manter o personagem não é novidade nenhuma no cinema e a própria Marvel já fez isso em pelo menos um papel importante: Bruce Banner, o Hulk, foi vivido por Edward Norton em O Incrível Hulk, de 2008, e trocado por Mark Ruffalo em Os Vingadores, de 2012. Também há o caso do Coronel James Rhodes – que vira o membro dos Vingadores Máquina de Combate – que foi vivido por Terrence Howard em Homem de Ferro e substituído por Don Cheadle, que o interpretou em Homem de Ferro 2 e 3, Vingadores – Era de Ultron e Capitão América – Guerra Civil. 

E claro, sempre vale à pena lembrar de James Bond, o 007, que foi vivido por seis atores diferentes em mais de 50 anos de franquia, com cinco deles mantendo a mesma linha narrativa ou cronologia; apenas o último representando um reboot.

Esperamos que a Marvel não faça a besteira de fazer um reboot em tudo: afinal, em algum momento Robert Downey Jr. deixará de ser o Homem de Ferro. Seria muito mais lógico manter a história seguindo em frente e colocar novos atores para viver personagens como Capitão América, Homem de Ferro e Thor.

Assim como HQs trocam de roteiristas e desenhistas, o Universo Cinematográfico da Marvel também trocará de atores e seus personagens mudarão de rosto.

Anúncios