Chris-Cornell 2016Faleceu ontem à noite nos EUA o vocalista e compositor Chris Cornell, famoso por ser membro das bandas Soundgarden e Audioslave e ter feito sucesso também na carreira solo. Corner tinha acabado de realizar um concerto no Fox Theater em Boston, em uma turnê de revival do Soundgarden. Não há ainda detalhes sobre o ocorrido e nem qual a causa da morte.

Chris Cornell teve grande importância no cenário musical das últimas décadas. O artista fez sucesso nas três vertentes em que atuou: no Soundgarden, no Audioslave e na carreira solo, saindo das raízes do movimento grunge para o indie rock dos anos 2000 e mantendo a integridade de uma carreira ímpar. Sua voz marcante – no meio termo entre os conterrâneos de Seattle, Kurt Cobain, do Nirvana e Eddie Vedder, do Pearl Jam – e suas boas composições animaram o rock nesse período em que o gênero lutou para manter-se relevante. E Cornell ajudou nisso.

Nascido na cidade de Seattle, no Estado de Washington, nos EUA, em 1964, Chris Cornell aprendeu piano quando criança e tocou bateria em suas primeiras bandas, antes de assumir as guitarras e o vocal. Fundou o Soundgarden em 1984, bem no início da cena grunge, e gravou suas primeiras canções no EP de estreia Screaming Life, de 1987. No ano seguinte, a banda lançou seu primeiro álbum, Ultramega Ok, seguido de Louder Than Love, em 1989.

Mas a página virou mesmo quando seus companheiros de cidade, o Nirvana de Kurt Cobain, estourou no mundo como um fenômeno singular nos fins de 1991, com o álbum Nevermind. A descoberta do Nirvana pela mídia internacional levou à procura de novas bandas grunge e Soundgarden e Pearl Jam foram as que melhor cumpriram as expectativas.

Assim, o álbum Badmotorfinger, do Soundgarden, de 1991, virou um estrondoso sucesso no ano seguinte e a banda virou conhecida internacionalmente. O álbum seguinte, Superunknown, de 1994, foi um fenômeno de vendas, tornando o grupo um dos principais dos estertores do grunge, que se convertia na poderosa (e mais ampla) cena hardcore dos EUA.

As conturbações do mundo mainstream do showbizz dificultaram a existência do Soundgarden e o disco Down on the Upside, de 1996, não conseguiu o sucesso esperado, o que resultou na separação em 1997.

Chris Cornell se lançou na carreira solo e lançou o álbum Euphoria Morning, em 1999 (que foi aclamado pela crítica, fez sucesso e ganhou um Grammy).

Mas o compositor se uniu a três ex-membros do Rage Against the Machine e fundou o Audioslave, em 2001, com ares de “supergrupo” e uma sonoridade poderosa, mais orientada ao indie rock daquela década do que ao grunge da anterior. O primeiro álbum homônimo foi aclamado pela crítica e fez sucesso, seguindo Out of Exile (2005) e Revelations (2006), mas infelizmente, a banda encerrou as atividades.

Cornell retomou a carreira solo e, de cara, emplacou You know my name na trilha sonora de 007 – Cassino Royale, o primeiro com Daniel Craig no papel de James Bond. Viram então Carry On (2007), Scream (2009), Long Gone (2010) e o ao vivo e acústico Songbook (2011).

O jogo já estava ganho, mas houve uma reunião do Soundgarden em 2012, com o álbum King Animal, do qual a faixa Live to rise entrou na trilha sonora de Os Vingadores.

Após uma extensa turnê de revival da banda, Cornell lançou outro solo com Highter Truth (2015), mas o Soundgarden se reuniu de novo no fim de 2016 para outra turnê, essa mesma que terminou tragicamente ontem.

Chris Cornell tinha 52 anos e deixa a viúva e três filhos.

[Atualização: Peritos médicos confirmaram que a morte se deu por suicídio por enforcamento com um cinto. O corpo do músico foi encontrado no banheiro pela equipe da turnê. O show ocorreu em condições normais e a esposa de Cornell falou com ele depois do concerto, com o compositor aparentando estar bem. Mais tarde, ela tentou de novo e não conseguiu e pediu ao staff para ver como ele estava. A porta do quarto do hotel precisou ser arrombada e a polícia foi chamada. Fim da Atualização].

Anúncios