star-wars-the-force-awakens-general-leia
A general Leia Organa em O Despertar da Força.

O Episódio VIII (Star Wars – Os Últimos Jedi) sequer foi lançado e há muita especulação sobre um (triste) elemento do capítulo seguinte: como completar o arco da personagem Leia Organa quando a atriz Carrie Fisher morreu repentinamente em consequência de um infarto em dezembro último?

A questão ganhou grande repercussão porque está claro desde o início que a LucasFilm jamais cogitaria substituí-la por outra atriz, tendo em vista a estreita relação da atriz com o público e a personagem que interpretou pela primeira vez no distante 1977. Além disso, houve a polêmica do CGI: na última cena de Rogue One – Uma História de Star Wars, os planos da Estrela da Morte roubados a muito custo por uma missão suicida da Aliança Rebelde chegam às mãos da jovem princesa Leia – com a mesma aparência de 1977 graças à recriação digital – dando partida às ações que levariam a Star Wars – Episódio IV: Uma Nova Esperança o primeiro filme da saga, lançado no ano referido. A “jovem” Leia – uma atriz com o rosto recoberto digitalmente por uma versão jovem de Carrie Fisher – aparece por meros segundos e diz uma única frase antes do fim do filme. Porém, Rogue One tem um personagem central totalmente reconstruído digitalmente: o Grand Moff Tarkin (que também tinha aparecido originalmente em Uma Nova Esperança), cujo ator Peter Cushing faleceu nos anos 1990, mas foi “reconstruído” usando o mesmo recurso de Leia, porém, com muito mais tempo de tela. Isso gerou algum desconforto pelo uso digital de um ator há muito falecido.

Iriam fazer a mesma coisa com Carrie Fisher? A atriz já tinha gravado sua participação em Os Últimos Jedi, mas seria reconstruída digitalmente para o Episódio IX, que será lançado em 2019? Desde o início a LucasFilm disse que NÃO!

E parece que o estúdio vai cumprir a promessa. Segundo noticia o Daily News (via Comic Book Resource), o irmão da atriz falecida, Todd Fisher disse que Leia estará sim no Episódio IX:

Ambos [a família Fisher e a LucasFilm] estávamos tipo, “sim, como você vai tirá-la disso [o fim da saga Star Wars]”. E a resposta é “você não vai”. Ela é uma parte fundamental disso, como tudo o mais, e acho que sua presença agora é até mais poderosa do que já foi, como Obi Wan: quando o sabre o abate ele se torna mais poderoso. Eu sinto que é o que aconteceu com Carrie. Eu penso que o legado deva continuar.

Se não será uma criação em CGI, como Leia voltará? Todd Fisher responde que irão usar as imagens já gravadas da atriz – provavelmente tanto de O Despertar da Força quanto de Os Últimos Jedi – para montar uma participação efetiva no Episódio IX.

De fato, utilizando cortes de câmera, edição de diálogos e algumas poucas intervenções digitais – como inseri-la em um cenário diferente daquele na qual foi gravado – pode ser usado para dar a presença real de Carrie Fisher no filme. É trabalhoso – encontrar falas que, remontadas, construam outras falas, outros textos – mas é possível.

Parece ser uma boa solução, afinal, tendo em vista que o Episódio IX deve ser o fim da saga Star Wars em sua linha narrativa principal – a família Skywalker – não há como a personagem Leia Organa estar ausente do fechamento, principalmente por causa de seu envolvimento com Kyle Ren.

O que você acha?

Advertisements