David Bowie: Biógrafa afirma que artista cometeu suicídio assistido

David Bowie: suicídio assistido?

David Bowie: suicídio assistido?

Em entrevista concedida ao jornal Daily Mail e à Rádio BBC (via site Omelete), a biógrafa Lesley-Ann Jones afirmou que o músico e compositor David Bowie, um dos mais importantes e influentes do século XX, teria optado por morte por suicídio assistido, no início deste ano. Bowie faleceu em 10 de janeiro em decorrência de um câncer de fígado intratável.

Jones disse:

Conversei com várias pessoas que sugeriram que a morte dele foi resultado de suicídio assistido. Tenho certeza de que ele não envolveu familiares e amigos para que eles ficassem protegidos.

A notícia é confirmada, em certo sentido, por Andy Peebles, ex-apresentador da BBC:

[Bowie] construiu sua despedida. Foram duas músicas divulgadas em poucos dias [Blackstar e Lazarus] e logo depois um de seus trabalhos mais importantes no dia do aniversário dele [o álbum Blackstar]. Aí dois dias depois ele morre. Eu não consigo ver tudo isso como coincidência. Quando você pensa a respeito, Bowie gerenciou todo o resto em toda a sua carreira, por que a morte dele seria de uma forma diferente? Ele podia fazer isso do jeito que queria, melhor pra ele.

Realmente, Bowie tem uma carreira marcada pela performance, na qual o artista dirigia sua obra, seu visual, suas atitudes, direcionadas por um senso estético fortíssimo e calculado. Ele foi um Mod em meados dos anos 1960; adotou a psicodelia espacial no fim dos anos 1960; se emoldurou do glam rock andrógino no início dos anos 1970; criou a persona Ziggy Stardust em 1972 (um astro do rock alienígena!); virou o White Duck (um cantor de soul); em meados dos anos 1970; vivenciou uma personalidade sombria e reclusa no fim da década; adotou uma persona mais alegre e dançante no início dos anos 1980; e nos últimos anos vinha flertando com as novas tecnologias e suas possibilidades. Para cada um desses momentos, Bowie construiu figurinos e estabeleceu comportamentos típicos, sempre embalados em uma música maravilhosa e um senso estético muito lógico e bem construído.

O performático David Bowie em ação encarnando Ziggy Stardust.

O performático David Bowie em ação encarnando Ziggy Stardust.

Teria sido a morte a última performance de David Bowie?

Nascido David Robert Jones em Londres, Inglaterra, em 1947, o cantor assumiu a alcunha David Bowie para se diferenciar do cantor americano Davy Jones dos The Menkees, e demorou a fazer sucesso, tentando a vida de músico entre 1962 e 1967 sem conseguir emplacar sucessos, porém, após uma pausa, voltou em 1969 e fez sucesso com a canção Space Oddity.Apesar de alguns discos não bem sucedidos – David Bowie (1969) e The Man Who Sold the World (1970), o músico voltou às paradas de sucesso com Hunky Dory (1971) e estourou totalmente com The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders form Mars (1972), tornando-se um dos compositores mais influentes dos anos 1970, marcado pela criação de personagens que se refletem em sua personalidade, vestuário e estilo musical.

Ao longo de mais de quatro décadas, legou ao mundo sucessos incontáveis e uma obra memorável que passa por diversos momentos de mutação e experimentação, em discos como Alladin Sane (1973), Young Americans (1975), Heroes (1977), Let’s Dance (1983), Outside(1995) e Reallity (2003), Nothing Has Changed (2014), e o recém-lançado Blackstar, que foi aclamado pela crítica e foi seu 25º álbum. O músico se aposentou dos palcos em 2006, após uma séria doença cardíaca, a qual já lhe obrigara a uma cirurgia dois anos antes.

Nos primeiros dias de 2016, Bowie lançou as canções Lazarus e Blackstar, e o álbum Blackstar foi lançado no dia de seu aniversário de 69 anos. Dois dias depois, em 10 de janeiro, o músico veio a falecer. A doença era segredo até sua morte. Bowie vivia uma vida reclusa e, desde 1993, trocou Londres por Nova York, onde morreu.

Atualmente, está em cartaz um musical baseado na obra do cantor, chamado Lazarus e estrelado por Michael C. Hall (de Dexter) e em cartaz nos palcos de Nova York e Londres.

About hqrock - Irapuan Peixoto

Doutor em Sociologia, professor universitário, músico e escritor amador. Nascido em 1979, já via quadrinhos antes de aprender a ler. Coleciona revistas desde 1990. É roqueiro de nascença. Toca em bandas de vez em quando, mas está gravando um disco com suas composições.

Posted on 23/09/2016, in Rock Clássico. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: