Pink Floyd: Banda lançará box com 27 discos com material inédito, faixas raras e shows ao vivo

O Pink Floyd em seu início, com Barrett, Mason, Wright e Waters.

O Pink Floyd em seu início, com Barrett, Mason, Wright e Waters.

A lendária banda britânica de rock progressivo e psicodélico Pink Floyd fez um anúncio impressionante este fim de semana: será lançado um box-set com 27 discos (CDs e DVDs) recheados de material inédito, faixas raras e shows ao vivo, cobrindo o início da carreira do grupo e, portanto, trazendo canções novas da época em que eram liderados pelo cantor e compositor Syd Barrett, que largou o conjunto logo no início. Pink Floyd: The Early Years 1965-1972 cobre tudo e traz 11 horas de áudio e 14 horas de vídeos. É simplesmente um sonho para os fãs.

O material traz desde demos do início da carreira do grupo (antes de conseguirem um contrato com a gravadora EMI) e finalmente oficializa faixas que já eram conhecidas pela pirataria, mas nunca lançadas comercialmente, como Scream thy last scream, Vegetable man e The benchwood, gravadas com Syd Barrett em 1967. Também há as sessões para a rádio BBC, onde executavam as canções ao vivo, gerando novas versões das canções de seus primeiros álbuns.

A caixa também cobre as faixas oficiais do período, trazendo remasters de seus primeiros compactos.

É um material inacreditável, com praticamente tudo o que se já ouviu falar que existia. E não apenas áudio, mas há uma série de gravações de vídeo com o grupo tocando ao vivo, inclusive, com Syd Barrett, cujos registros de vídeo são muito poucos. Segue aqui um resumo com os destaques da caixa, tirados a partir do site Consequences of the Sound:

A caixa em imagem promocional: 27 discos.

A caixa em imagem promocional: 27 discos.

  • O Disco 1 traz as demos da banda gravados em 1965 (Lucy Leave, I’m king bee),  e outras que foram gravadas profissionalmente visando entrar em singles ou álbuns e ficaram de fora, em 1967 (Scream thy last scream, Vegetable man e In the benchwood).
  • O Disco 2 traz um show ao vivo em Estocolmo, em 1967, com Syd Barrett, com faixas como Matilda mother, Scream thy last scream, Sets the controls to the heart of the sun e See emily play, além de gravações na rádio BBC de música instrumental aleatória.
  • O Disco 3 traz vídeos, com os clipes de Arnold Layne e Jugband blues, um novo vídeo para Chapter 24, performances ao vivo de See Emily play, The scarecrow, Astronomy domine e Interstellar overdrive, todos com Syd Barrett.
  • O Disco 4 traz as versões oficiais das canções da banda lançadas apenas em single em 1968 – como Point me at the sky e It would be so nice – que marcam o início da fase em que Barrett foi substituído por David Gilmour, além de apresentações na rádio BBC de canções desse período.
  • O Disco 5 é de vídeos, trazendo apresentações da banda, já com David Gilmour, em 1968, em locais como Paris, Bruxelas e Roma, além do programa de TV Bauton Rouge, da França.
  • O Disco 6 traz as faixas gravadas para a trilha sonora do filme More, de 1969, e que não estão no álbum homônimo, como Hollywood e Embryo, além de apresentações na rádio BBC de faixas desse disco (Green is the colour, Cymbaline) e do álbum Ummagumma; e um concerto em Amsterdã.
O Pink Floyd em 1972: Waters, Mason, Gilmour e Wright.

O Pink Floyd em 1972: Waters, Mason, Gilmour e Wright.

  • O Disco 7 traz uma apresentação ao vivo em Amsterdã, em 1969, na qual a banda apresenta a peça The Man & The Journey, um tipo de ópera rock que unia parte do repertório do grupo da época com algumas canções inéditas, mas nunca foi lançado nesse formato antes fora da pirataria.
  • O Disco 8 traz vídeos, com apresentações de 1969 em Paris, Londres (com um trecho de The Man & The Journey), Essen na Alemanha, e na Bélgica.
  • O Disco 9 traz a apresentação da banda no Festival de Montreux, em 1970 (com Atom heart mother) e mais uma sessão na BBC, incluindo esta mesma faixa acompanhada por uma orquestra.
  • O Disco 10 traz faixas não usadas na trilha sonora do filme Zabriskie Point, de 1970.
  • O Disco 11 traz o vídeo (em DVD) do famoso programa de TV de 1970, One Hour With Pink Floyd, feita para uma TV de San Franscico, nos EUA, além de uma versão em áudio do álbum Atom Heart Mother em 4.0 quadriofônico.
  • O Disco 12 também traz vídeos, com a apresentação no Festival de San Tropez, na França, de 1970; um trecho do grupo fazendo a trilha sonora para o Roland Pettit Ballet, na França; e a canção Atom heart mother, com orquestra completa executada no Hyde Park de Londres.
  • O Disco 13 traz uma versão preliminar Echoes e mais uma sessão ao vivo na BBC, ambos em 1971.
  • O Disco 14 é uma miscelânea de vídeos, que incluem trechos de Atom heart mother e Saucerful of secrets executadas ao vivo, em 1971, com documentários e entrevistas da época.
  • O Disco 15 é uma versão remixada do álbum Obscure by Clouds, de 1972.
  • O Disco 16 traz mais vídeos, com um documentário sobre as gravações de Obscure by Clouds, e entrevistas da época; um clipe novo montado a partir de fotos para a canção Wots… up the deal, daquele álbum de 1972; trechos de um concerto em Brighton, na Inglaterra; novos trechos do Rolland Pettit Ballet, em 1972; e uma nova versão do filme Live At Pompeii, com remix em 5.1.
  • O Disco 17, por algum motivo, dá uma volta atrás na cronologia e traz uma série de apresentações na BBC, duas em 1967 (com Syd Barrett) e uma com David Gilmour, em 1968; além da trilha sonora que a banda produziu para o pouso do homem na Lua, em 1969, que foi transmitido ao vivo na TV do Reino Unido; e uma versão ao vivo de Echoes, em 1974, em Wembley.
O Pink Floyd em 1972, à beira da fama. Wright, Gilmour, Mason e Waters.

O Pink Floyd em 1972, à beira da fama. Wright, Gilmour, Mason e Waters.

  • O Disco 18 é uma miscelânea de vídeos: versões alternativas para clipes da banda, como Arnold Layne e Corporal Clegg; trechos avulsos de apresentações ao vivo em 1970 e 1972; e o filme The Commitee, de 1968, cuja trilha sonora é do Pink Floyd e permanecia inédita até hoje, inclusive, na pirataria.
  • O Disco 19 traz mais vídeos, com os filmes More (1969) e La Valleé (1972), cujas as trilhas sonoras são criadas pela banda e renderam os álbuns homônimo e Obscure by Clouds, respectivamente.
  • Os demais discos são cópias em vinil dos primeiros compactos da banda: Arnold Layne/ Candy and a currant bun (1967); See Emily play/ The scarecrow (1967); Apples and oranges/ Paintbox (1967); It would be so nice/ Julia dream (1968); Point me at the sky/ Careful with that axe, Eugene (1968).

Como se pode ver, o material da coleção é colossal, mas também o é o preço: em média, a caixa com os 27 discos custará US$ 500,00! Somente os mais ricos poderão ter acesso a este vasto material de áudio e vídeo.

Os fãs comuns podem se contentar com uma versão mais simples da coleção: um CD duplo trazendo o melhor da coleção, que custará US$ 15,98.

Como se pode notar, Pink Floyd: The Early Years 1965-1972 cobre a fase menos conhecida do Pink Floyd, quando foram os heróis do rock psicodélico britânico dos anos 1960 e voltaram à condição de banda cult underground por um tempo; antes de atingirem o sucesso magistral pós-1973. Portanto, é uma ótima oportunidade ao grande público de se permitir conhecer esse lado mais obscuro, sombrio, aleatório, confuso e assustador de uma das bandas mais famosas do mundo.

Quem embarcar na aventura, irá conhecer uma coleção de canções não-usuais, fora do padrão ortodoxo, mas dotadas de melancolia e um sentimento de beleza estranha sensacional. Boa viagem!

***

O Pink Floyd surgiu em Londres, em 1965, a partir da união de dois amigos de infância (Barrett e Waters) vindos da cidade de Cambridge. O grupo se tornou um dos maiores exponentes do Movimento Psicodélico com seu primeiro disco, em 1967. Era formado por Syd Barrett (vocais e guitarra), Roger Waters (baixo e vocais), Richard Wright (teclados e vocais) e Nick Mason (bateria), mas após pouco tempo, Barrett desenvolveu sérios problemas mentais, fruto da combinação de esquizofrenia e abuso de drogas como o LSD e foi afastado do grupo. Foi substituído por David Gilmour, em 1968, que também era um velho conhecido de Cambrigde.

Sem Barrett, Roger Waters se consolidou como o líder do Pink Floyd, além de seu principal compositor, mesmo que os vocais fossem realizados em sua maioria por David Gilmour. Permanecendo no circuito alternativo por alguns anos, o Pink Floyd se tornou uma das bandas de maior sucesso do mundo em 1973, com o lançamento do álbum Darkside of the Moon. A carreira de sucesso prosseguiu ao longo dos anos 1970, com discos como Wish You Were Here (1975) e The Wall (1979). Após uma série de brigas e crises, Roger Waters deixou a banda em 1985, mas Gilmour, Wright e Mason continuaram com a banda sem ele até 1996, quando encerraram as atividades oficialmente. Depois disso, ocorreram apenas algumas reuniões rápidas e o lançamento do álbum The Endless River, em 2014, formado a partir de sessões de gravação dos anos 1990.

 

 

About hqrock - Irapuan Peixoto

Doutor em Sociologia, professor universitário, músico e escritor amador. Nascido em 1979, já via quadrinhos antes de aprender a ler. Coleciona revistas desde 1990. É roqueiro de nascença. Toca em bandas de vez em quando, mas está gravando um disco com suas composições.

Posted on 01/08/2016, in Álbum, Pink Floyd, Rock Clássico. Bookmark the permalink. 1 Comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: