Guardiões da Galáxia 2: Diretor fala sobre revelação de que Ego, o Planeta Vivo, será o pai de Starlord

Imagem promocional do filme, com a equipe.

Imagem promocional do filme, com a equipe.

Dentre a tonelada de novidades vinda da San Diego Comic-Con, não tivemos tempo de comentar uma especial: a revelação de que o mistério sobre o pai do Senhor das Estrelas (ou Starlord) acabou – será Ego, o Planeta Vivo (!) em Guardiões da Galáxia Vol. 2, sequência da adaptação da equipe de super-heróis cósmicos da Marvel Comics, realizado pelo braço cinematográfico da empresa, o Marvel Studios.

 

Ego nos quadrinhos...

Ego nos quadrinhos…

A revelação foi uma grande surpresa por vários motivos. A primeira porque Ego não é um personagem realmente vinculado aos Guardiões da Galáxia nos quadrinhos, mas um velho vilão das histórias antigas de Thor. A segunda, porque no primeiro filme, a mãe terráquea de Peter Quill diz que seu pai era um “ser de luz”, dando a entender que era alguém bondoso, celestial, o que não condiz com a natureza do personagens na HQ. Terceiro, pelo próprio conceito de Ego: como seu nome diz, ele é um Planeta Vivo! Como isso será adaptado no filme, ainda não sabemos.

... e roupa de Ego no filme, exibida na Comic-Con.

… e roupa de Ego no filme, exibida na Comic-Con.

A descrição do vídeo exibido na convenção, mostra Ego, interpretado por Kurt Russell usando um tipo de uniforme), dizendo algo como “Peter, achei que você tinha percebido que eu sou seu pai, já que sou tão bonitão”. Além disso, há uma cena dele explicando a equipe como pode ser o pai de Starlord se é um planeta (embora gere um avatar humanoide) e ele responde que “pode gerar vida”, com Drax replicando: “você tem um pênis?”.

Sobre a versão de Ego nos quadrinhos, não custa adiantar que ele foi criado por Stan Lee e Jack Kirby em The Mighty Thor 132 e 133, de 1966, como um vilão. Ele é um dos Anciões do Universo, exemplares das raças mais antigas do cosmo, dotados de poderes quase infinitos, mas foi criado artificialmente pelo alienígena conhecido apenas como O Estranho, outro dos Anciões. Ele é efetivamente um planeta vivo, dotado de consciência e – perdoem o trocadilho – com um ego muito inflado.

A revelação chateou alguns fãs que se manifestaram na internet, pois encararam a informação como um grande spoiler. Em resposta, o próprio diretor do longametragem, James Gunn, veio à sua página no Facebook falar a respeito. Ele disse:

Se vivêssemos em um mundo perfeito, eu não contaria a vocês COISA NENHUMA antes de irem ver Guardiões da Galáxia Vol. 2. Não contaria que agora Groot é o Baby Groot, não diria que Mantis está no filme, não contaria que Ayesha e Taserface são nossos antagonistas, que Yondu e Nebula têm papeis extremamente importantes no filme, nem eu contaria que o pai de Quill é Ego, o Planeta Vivo. Entretanto, o mundo é imperfeito.

Nós precisamos anunciar nosso filme. É impossível mostrar muito de Vol. 2, porque Ego é uma parte muito grande dele.

Isto dito, saber quem é o pai de Quill não vai diminuir sua diversão no filme de modo algum. Ego é o centro emocional de Guardiões da Galáxia Vol. 2 do início ao fim, e isto não é uma pegadinha. E acredite: há muito, mas muito mais surpresas guardadas para você em Vol 2, esperando que a maior delas será o quanto você irá amar o filme por si mesmo.

A explicação basta para mim. E para vocês? O que acham?

Por fim, aproveitamos a fala para comentar os outros segredos revelados: os vilões do filme serão Ayesha e Taserface.

Ayesha (ou Ela) em sua versão original nos quadrinhos.

Ayesha (ou Ela) em sua versão original nos quadrinhos. Arte de John Buscema.

Ayesha é um dos muitos nomes usados pela personagem também conhecida como Ela, Kismet e Paragon. Nas HQs, ela é um ser artificial criado por cientistas humanos da organização secreta conhecida como Enclave. Esses cientistas criaram primeiro Ele, um ser humano artificial e, por isso mesmo, dotado de vários superpoderes (força, resistência, capacidade de absorver e manipular energia cósmica), como vimos em Fantastic Four 66, de 1967, por Stan Lee e Jack Kirby, que se revoltou contra seus criadores e se tornou o heroico Adam Warlock, um dos principais personagens cósmicos da Marvel dos anos 1970. Bem mais tarde, houve uma segunda tentativa do Enclave, que gerou Ela (em The Incredible Hulk Annual 06, de 1977, por Len Wein e Herb Trimpe), com aparência similar e os mesmos poderes… e a mesma atitude: atacando seus criadores. Após meditar por um tempo, Paragon decidiu que, como era um ser único e perfeito, deveria se dedicar a criar uma raça superior. E seu par ideal seria Warlock, que ela descobriu estar morto após deter o vilanesco Thanos (numa aventura conjunta com os Vingadores). Desde então, Ayesha singra o cosmos em busca de um par perfeito para conceber sua prole.

Taserface nas HQs. Arte de Jim Valentino.

Taserface nas HQs. Arte de Jim Valentino.

Taserface também tem uma origem extremamente complexa: Numa realidade alternativa, o Tony Stark do futuro, descobre que a Terra será invadida por alienígenas e, para proteger sua tecnologia mais avançada, cria uma sonda espacial com seus inventos, anotações e produtos, e a lança ao espaço profundo. Esta sonda termina sendo impulsionada pela gravidade do sol a sair do sistema solar e após muito e muito tempo, cair em um planeta alienígena distante, habitado por um povo primitivo e com pouca tecnologia. Com o passar dos anos, essa raça perdeu o medo do artefato e começou a explorá-lo, de modo que desenvolve toda a sua tecnologia e indústria a partir dos protótipos de Stark, tornando-se com o passar dos séculos, uma raça extremamente avançada, que inclusive rebatiza seu planeta de Stark. Taserface é membro dessa raça e se tornou um conquistador espacial, combatendo a versão original dos Guardiões da Galáxia, que era uma equipe que vinha do futuro, ao contrário da versão atual, que são heróis cósmicos do nosso presente. Inclusive, o vilão foi a primeira ameaça que o grupo combateu quando ganhou suas aventuras próprias, em Guardians of the Galacy 01, de 1990, por Jim Valentino.

No filme, claro, tudo isso deve ser adaptado à realidade cinematográfica da Marvel. Assim, enquanto Adam Warlock ainda não apareceu (e a presença de Ayesha é uma grande porta aberta para que apareça no futuro… ou mesmo neste filme e sendo um dos tais segredos dos quais fala o diretor), Ayesha não deverá ter sua origem ligada à Terra, sendo mais provável que – caso continue como um ser artificial – venha de uma realidade mais plausível: uma raça mais avançada do que a nossa, talvez os Kree, quem sabe até os Celestiais, que são citados no primeiro filme várias vezes. Eu apostaria neles. E algo me diz que a presença de Ego também é uma ponte para falar dos Celestiais.

Quanto a Taserface, é muito improvável que aja qualquer tipo de menção a Tony Stark e o Homem de Ferro. Sua origem deverá ser simplificada, como um guerreiro alienígena qualquer. É bem provável que ou ele será o líder de uma gangue rival aos Saqueadores de Yondu, o que explicaria porque este se unirá aos Guardiões da Galáxia em Vol. 2, ou simplesmente o “braço-forte” de Ayesha. Veremos.

Ah, e para fechar: nas HQs, o pai de Starlord é J’Son, o regente do planeta Spartax, que é um tipo de vilão guerreiro. Mas esta origem não será usada no filme.

***

Guardiões da Galáxia Vol. 2 é novamente dirigido por James Gunn, que também escreveu o roteiro. O elenco traz de volta Chris Pratt (Star-Lord); Zoe Saldana (Gamora); Bradley Cooper (voz de Rocket); Dave Bautista (Drax, o destruidor); Karen Gillan (Nebula); Vin Diesel (voz de Groot); Michael Rooker (Yondu); Pom Klementieff (Mantis), Elizabeth Debricki (Ayesha), Chris Sullivan (Taserface), Glenn Close (Comandante Irani Rael, líder da Tropa Nova), John C. Reilly (Agente Nova Rhomann Dey), com Kurt Russell (Ego, o Planeta Vivo) e Sylvester Stallone (papel não-revelado). A estreia será em 05 de maio de 2017, nos EUA, como parte da Fase 3 do Marvel Studios e terá conexões com Vingadores – Guerra, que sai no ano seguinte.

Os Guardiões da Galáxia é um time de heróis cósmicos, que atua no Espaço Sideral e surgiu em 1969, na revista Marvel Super-Heroes 18, criados por Arnold Drake e Gene Colan. Coadjuvantes do Universo Marvel e vindos do futuro, participaram de histórias dos Vingadores, Defensores e Thor até terem aventuras próprias nos anos 1990. Uma nova versão da equipe, com personagens do presente, surgiu na maxissérie Aniquilação: Conquista, em 2008, criada por Dan Abnett e Andy Lanning, trazendo como membros Star Lord, Gamora, Groot, Rocket Racoon e Drax, o destruidor, dentre outros.

About hqrock - Irapuan Peixoto

Doutor em Sociologia, professor universitário, músico e escritor amador. Nascido em 1979, já via quadrinhos antes de aprender a ler. Coleciona revistas desde 1990. É roqueiro de nascença. Toca em bandas de vez em quando, mas está gravando um disco com suas composições.

Posted on 30/07/2016, in Desenhistas, Dossiês de Personagens, Escritores, Filmes, Guardiões da Galáxia, Jack Kirby, Marvel Comics, Marvel Studios, Stan Lee. Bookmark the permalink. Deixe um comentário.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: