Vingadores: Marvel Comics promove pequena revolução e cria novos grupos repletos de diversidade na fase pós-Guerras Secretas. Mutante brasileiro vai liderar equipe

Capa de USAvengers 01, com Roberto da Costa em destaque.

Capa de USAvengers 01, com Roberto da Costa em destaque.

A editora de quadrinhos Marvel Comics, proprietária de Vingadores, Homem-Aranha, X-Men etc., está atualmente publicando um megaevento que “mudará tudo” mais uma vez: Guerras Secretas, saga que repete o nome de outra, original dos anos 1980. Contudo, antes mesmo daquela história terminar, a editora já está adiantando uma série de novidades que irão chocalhar seu universo ficcional em breve. Parte disso tem a ver com a criação de novos grupos de super-heróis, repletos de diversidade (de gênero e étnica): USAvengers e Champions. As informações foram anunciadas oficialmente e estão aqui copiladas através do site Omelete.

O grupo USAvengers será outro derivado dos Vingadores e terá como marca principal um vínculo estreito com o Governo dos EUA. Essa mesma abordagem já foi tentada outras vezes, de modo mais célebre nos anos 1990 com o X-Factor, um derivado dos X-Men. Os USAvengers serão liderados por Roberto da Costa, o mutante brasileiro Mancha Solar, ex-membro dos Novos Mutantes, do X-Factor e da X-Force.

Na nova revista, escrita por Al Ewing e desenhada por Paco Medina, Roberto da Costa (que é um multimilionário) torna-se proprietário da IMA (Ideias Mecânicas Avançadas), a antiga organização terrorista, agora “legalizada”, agora chamada Inteligências Mecânicas Americanas, que produzirá armas para o Governo dos EUA irá meio que substituir a SHIELD.

Roberto da Costa, o Mancha Solar na arte de Paco Medina.

Roberto da Costa, o Mancha Solar na arte de Paco Medina.

Mancha Solar liderará um grupo formado por Míssil (seu companheiro de equipes mutantes), Hulk Vermelho, o robô Pod, Garota-Esquilo, a nova Patriota de Ferro (que será Toni Yinsen, a filha de Ho Yinsen, o homem que ajudou Tony Stark a criar a primeira armadura do Homem de Ferro) e a Capitã América do futuro, que é Daniele Cage, a filha de Luke Cage e Jessica Jones, que veio do futuro para nosso tempo.

O escritor Al Ewing explica que a revista mostrará o lado bom dos EUA (o que cheira a propaganda patriótica):

O lance sobre Roberto é que ele veio adolescente aos EUA, como minoria, um mutante sulamericano, ele já viu o lado feio da vida, mas já viu a América no seu melhor. Ele tem amor absoluto pelo seu país adotivo e vai lutar até o fim para salvar vidas e ajudar as pessoas.

Mancha Solar foi criado por Chris Claremont e Bob McLeod em Marvel Graphic Novel 04: New Mutants, em 1982, estreando junto com os Novos Mutantes, grupo de jovens treinados por Charles Xavier para substituir os X-Men no futuro, que logo em seguida ganharam uma revista própria que fez bastante sucesso e durou 100 edições até mudar de nome para X-Force. Mancha Solar esteve na revista a maior parte do tempo. Ele é o brasileiro Roberto da Costa, nascido no Rio de Janeiro, filho do poderoso e rico empresário Emanuel da Costa e da arqueóloga Nina da Costa. Roberto era jogador de futebol e estava escalado para jogar nos Jogos Olímpicos na adolescência, quando seus poderes mutantes se manifestaram. Ele é capaz de cobrir o corpo com um tipo de energia solar escura, lançar bolas de fogo e derreter coisas; além de ter força sobrehumana.

Os Campeões: jovens ativistas.

Os Campeões: jovens ativistas.

A outra equipe são os Champions, que serão traduzidos como Campeões no Brasil. Ao contrário da anterior, esta irá se desvincilhar dos Vingadores. A proposta é mostrar uma equipe de jovens heróis que decide traçar o próprio caminho, sem a supervisão dos adultos, e com uma pegada ativista.

Os Campeões serão liderados pela versão jovem de Ciclope (ainda adolescente, que veio do passado para o nosso tempo) e o novo Hulk, que não é mais Bruce Banner, mas Amadeus Cho, o adolescente mais inteligente do mundo. Junto com eles, estão: Nova, Viv (a “filha” do Visão), a nova Miss Marvel Kamala Khan e o Homem-Aranha Miles Morales.

Champions será escrita por Mark Waid, um dos maiores roteiristas de quadrinhos surgidos desde os anos 1990, e desenhada por Humberto Ramos, que marcou uma forte temporada na arte do Homem-Aranha. O editor Tom Brevoort falou sobre o grupo:

Capa variante de Champions 01: deixando os Vingadores para trás.

Capa variante de Champions 01: deixando os Vingadores para trás.

Se eles estão rompendo laços, se estão partindo para fazer algo independente para se estabelecer por conta própria, eles precisam de um nome próprio. Em resumo eles são muito socialmente conscientes, dedicados ao ativismo, e com muito pensamento positivo a respeito de serem super-heróis.

O nome Campeões já foi usado pela Marvel no passado. Era uma equipe estranha de super-heróis, que reuniu Viúva Negra, Hércules, Motoqueiro Fantasma, Homem de Gelo e Anjo, que estrearam em 1975 e foram criados por Tony Isabella e desenhadas primeiro por Don Heck e, depois por John Byrne, mas a revista nunca emplacou, se encerrando no número 18, em 1978. Desde então, o nome não foi mais usado e, no passado recente, a Marvel teve que disputar na justiça o direito de voltar a usar o título.

O que há de comum nos USAvengers e nos novos Campeões é o investimento pesado em diversidade de gênero e étnica, buscando maior diálogo com um público mais vasto.

Riri Williams será a nova Homem de Ferro.

Riri Williams será a nova Homem de Ferro.

E isto não é algo isolado: o mesmo pacote de informações da Marvel também divulgou que Tony Stark deixará de ser o Homem de Ferro e será substituído por Riri Williams, uma adolescente que é extremamente inteligente e, bem recentemente, se tornou a nova Máquina de Combate, ocupando o lugar que fora de James Rhodes.

Não está claro qual o papel de Stark pós-Riri: ele morrerá? Ficará um tempo aposentado? Voltará à bebida? Riri se chamará Mulher de Ferro? Não se sabe ainda. A personagem estreou em Iron-Man 07, de março deste ano e suas novas aventuras deverão ter destaque no panorama geral da Marvel, pois serão escritas pelo “medalhão” Brian Michael Bendis, com desenhos de Stefano Caselli.

Por mais que possamos fazer críticas às histórias recentes da Marvel, que parecem andar em círculos, não podemos negar, por outro lado, que a editora é ousada: com esse movimento, todos os grandes ícones da editora estão agora substituídos por versões femininas, negras ou de outras etnias/nacionalidades. Por mais que as versões tradicionais continuem sendo publicadas paralelamente, não deixa de ser significativo e importante termos essas outras versões em ação, tornando o Universo Marvel mais real e mais parecido com o nosso.

A Marvel foi a primeira editora em quadrinhos a criar um super-herói negro: o Pantera Negra, em 1966 (que é africano); bem como o primeiro super-herói afrodescendente, o Falcão, 1969. Em 1971, este se tornou o primeiro herói negro a ter o nome num título de uma revista: Captain America & The Falcon, que passou a ser o título oficial da revista por uns 8 anos. Luke Cage foi o primeiro negro a ter um título só seu, lançado já em 1972: Luke Cage, hero for hire. A Marvel se manteve na vanguarda da diversidade nos quadrinhos, muito antes disso ser moda. Nos anos 1980, rompeu outra barreira a tornar o herói Estrela Polar, membro da Tropa Alfa, um homossexual assumido. Dessa forma, a iniciativa da Marvel é condizente com sua história e tradição.

É de esperar o que as editoras concorrentes – sabem aquela? – irão reagir a uma empreitada tão maciça e tão ousada como esta.

Os Vingadores surgiram em 1963, criados por Stan Lee e Jack Kirby, publicados em The Avengers 01, reunindo personagens já criados previamente. Mais importante supergrupo da Marvel Comics, fazer parte da equipe significa ter um status diferenciado de importância no Universo da editora.

About hqrock - Irapuan Peixoto

Doutor em Sociologia, professor universitário, músico e escritor amador. Nascido em 1979, já via quadrinhos antes de aprender a ler. Coleciona revistas desde 1990. É roqueiro de nascença. Toca em bandas de vez em quando, mas está gravando um disco com suas composições.

Posted on 06/07/2016, in Capitão América, Desenhistas, Escritores, Homem de Ferro, Marvel Comics, Revistas, Vingadores. Bookmark the permalink. 2 comentários.

  1. De fato Irapuan, inovação e diversificação sempre foram marcas da Marvel e ela parece estar agradando – Black Panther #1 é a mais recente top 1 em vendas com 300 mil cópias! Apenas uma dúvida: o evento atual a mudar o status dos personagens, trata-se de Guerra Civil 2? Abs!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: