O novo filme: legado.
O novo filme: legado.

Poucos filmes nos últimos tempos despertaram tanto interesse do público, da crítica e da mídia como Star Wars – O Despertar da Força, a sequência da famosa saga espacial do cinema que já rendeu duas trilogias e é produzida pela LucasFilm, levada agora aos cinemas pela Disney Company. Com ansiedade, os meios de comunicação e os fóruns de internet discutiam como seria o novo capítulo da saga. Estreando hoje no Brasil, o que podemos pensar do filme? O HQRock assistiu à pré-estreia e conta para você em um texto sem spoilers!

O Despertar da Força entrega sim o que o público queria: é um filme sensacional que faz jus ao melhor da saga, homenageia o passado e aponta forte para o futuro. Cenas de ação empolgantes, batalhas aéreas deslumbrantes e combates com sabre de luz de encher os olhos. A história é interessante e os personagens (novos e velhos) são carismáticos. Não é o melhor filme da saga, como se apressaram em dizer alguns veículos da mídia (o posto continua com O Império Contra-Ataca), mas é uma ótima adesão, estando bem à frente dos filmes da Trilogia anterior, lançada entre 1999 e 2005. Há um pedigree e um peso às imagens, história e personagens que é muito bom.

O filme acerta em usar a nostalgia a seu favor e não ficar guiando por dela. Daí, a história começa com os personagens novos em situações novas, mas utilizando inúmeros elementos que remetem aos filmes anteriores e enchem os olhos dos velhos fãs da saga: novos exércitos de Stormtroopers, as naves TIEs e X-Wings, as imensas ruínas de um Cruzador Imperial, um planeta desértico e um vilão com toda aquela cara (proposital) de Darth Vader.

Kylo Ren: o perturbado novo vilão.
Kylo Ren: o perturbado novo vilão.

Somente depois dessa longa introdução é que os velhos membros do elenco vão sendo introduzidos lentamente, quase um a um e aquela primeira história vai se conectando com a antiga, mas com um senso de propósito. A junção dos “dois mundos”, velho e novo, é chocante e interessante, mas são os personagens novos quem carregam a história e não contrário. E isso é bom: aponta para o futuro da saga, sem ficar preso, amarrado, em demasia da velha trama já resolvida em O Retorno de Jedi. A trama da família Skywalker continua, mas agora com novos elementos.

Falando nisso, vamos à trama geral do filme: Em oposição à República Galática, emerge a Primeira Ordem, com os resquícios do Império derrotado na Trilogia Clássica. Liderada pelo Supremo Líder Snoke e tendo como principais operativos o Sith Kylo Ren e o General Hux. A Primeira Ordem é combatida pela Resistência, herdeira direta da Aliança Rebelde que derrubou o Império. Os dois grupos buscam (por motivos diferentes) o Mestre Jedi Luke Skywalker, que está desaparecido há alguns anos. A Primeira Ordem quer eliminá-lo, pois é a maior das ameaças aos seus planos, enquanto a Resistência, liderada pela General Leia Organa, a irmã de Luke, busca o Jedi para ajudá-los.

A velha geração...
A velha geração…

O estopim da trama se dá quando um velho aliado (Lar San Tekka) entrega ao piloto da Resistência Poe Dameron um arquivo com um mapa da localização de Luke Skywalker, escondida em um droide BB-8, o que atrai um ataque feroz da Primeira Ordem, liderada por Kylo Ren. Em meio a isso, o Stormtrooper Finn tem um ataque de pânico, questionando o seu posicionamento naquele mundo e resolve fugir. Seu destino irá se cruzar com a catadora de lixo Rey, que encontra o BB-8, transformando ambos em alvos da Primeira Ordem.

Assim, a fuga irá levá-los ao encontro de Han Solo e Chewbacca, dois contrabandistas que têm estreitas ligações com a Resistência e Luke Skywalker. Daí para frente há um despertar na Força e grandes revelações sobre os personagens novos e velhos, enquanto a Primeira Ordem movimenta os planos destruidores da Matadora de Estrelas (Starkiller), um novo tipo de Estrela da Morte, muito maior e mais mortífera.

...à nova, liderada por Rey e Finn.
…à nova, liderada por Rey e Finn.

O grande senão do filme é a perfeita simetria com Uma Nova Esperança, na qual os dois filmes seguem a mesma estrutura. O Despertar da Força também usa bastante referências cinematográficas  aos velhos filmes da saga, com cenas que lembram o vôo de Luke sobre a Estrela da Morte, a cena da ponte com Darth Vader, a cena da cantina e o ato de esconder um plano em um droide e ser perseguidos pelos malvados. Mas mesmo isso podem ser entendidos como tributos e, de algum modo ecoam nos velhos fãs da série.

O interessante é que o tema principal do filme é o legado dos velhos personagens e isso serve como uma alegoria da própria saga, que agora passa às mãos de uma nova geração de fãs, mas também, uma nova geração de personagens, diretores, escritores e estúdio.

Poe Dameron.
Poe Dameron.

A sessão em que assisti estava absolutamente lotada e o público reagiu efervescidamente durante todo o filme. Gritaram entusiasmado desde a aparição do logo da LucasFilm e depois a cada referência explícita aos velhos filmes ou à aparição dos velhos personagens. Reagiram empolgadamente às cenas de ação, de batalha aérea e lutas de sabre de luz e, no fim, aplaudiram após o término do filme.

Não vejo muitos filmes sendo aplaudidos nos dias de hoje (o último foi Guardiões da Galáxia e antes dele Capitão América 2 – O Soldado Invernal) e se isso é um indicativo, podemos esperar o sucesso da saga e sua continuação por algum bom tempo. E que novas aventuras venham, pois agora, os expectadores querem ver o desenrolar das grandes implicações dessa nova história. O Episódio VIII, inclusive, já está sendo filmado!

Saiba tudo sobre os velhos filmes da série Star Wars clicando aqui!

***

O primeiro filme da nova trilogia, Star Wars – Episódio VII: The Force Awakens é dirigido por J.J. Abrams (de Missão Impossível III, Super 8 e Star Trek), tem história de Michael Arndt (de Pequena Miss Sunshine) e roteiro de J.J. Abrams e Lawrence Kasdan. O  elenco traz de volta da velha trilogia Harrison Ford (Han Solo), Carrie Fisher (Leia Morgana), Mark Hamill (Luke Skywalker), Anthony Daniels (C3PO), Peter Mayhew (Chewbacca) e Kenny Baker (R2D2); que se juntam aos novatos John Boyega (Finn), Daisy Ridley (Rey), Adam Driver (Kylo Ren), Oscar Isaac (Poe Dameron), Andy Serkis (Supremo Líder Snoke), Domhnall Gleeson (General Hux), Max von Sydow (Lor San Tekka), Lupita Nyong’o (Maz Kanata) e Gwendoline Christie (Capitã Phasma). A data de lançamento é 17 de dezembro de 2015.

Os episódios seguintes (VIII e IX) terão roteiros de Lawrence Kasdan e Simon Kinberg, que também atuarão como produtores.

Star Wars é uma série de filmes que estreou em 1977, criada, escrita e dirigida por George Lucas. Foram produzidos primeiro os Episódios IV – Uma Nova Esperança, V – O Império Contra-Ataca e VI – O Retorno de Jedi (entre 1977 e 1983) e depois os Episódios I, II e III (entre 1999 e 2007), além de diversas outras produções para outras mídias, como quadrinhos, livros, games e a série animada Star Wars – Clone Wars, que fez bastante sucesso na TV. Um novo desenho chamado Star Wars – Rebels estreou há pouco tempo.

 

Anúncios