Batman: que histórias veremos no cinema?
Batman: que histórias veremos no cinema?

Batman, o mais popular dos super-heróis da editora DC Comics, levado ao cinema pela Warner Bros., ganhará uma nova série de filmes em breve. O cavaleiro das trevas favorito de todo mundo volta aos cinemas em Batman vs Superman – A Origem da Justiça, que sai em 2016, mas já correm notícias de que o homem-morcego terá não apenas um novo filme solo em breve, mas toda uma nova trilogia, começando em 2017 ou 2018. Então, já fica de antemão a pergunta: que histórias eles vão adaptar? O HQRock traz um post especial com as histórias em quadrinhos que poderemos ver nas telonas em breve.

Embora nenhum de seus muitos filmes tenha adaptado uma história fielmente, os filmes anteriores já levaram alguns arcos famosos às telonas, sempre de modo diluído e fragmentado:

  • Batman – O Filme (Estranhas Aparições);
  • Batman Begins (Ano Um, O Longo Dia das Bruxas);
  • Batman – O Cavaleiro das Trevas (O Longo Dia das Bruxas, A Piada Mortal);
  • Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge (A Queda do Morcego, Terra de Ninguém);
  • Batman vs Superman – A Origem da Justiça (O Cavaleiro das Trevas).

(Para saber mais sobre essas histórias clique aqui ou aqui)

E os próximos filmes? É muito provável que teremos menos histórias clássicas e mais foco em tramas contemporâneas. Vale lembrar que A Origem da Justiça irá definir um Batman veterano, que já patrulha Gotham City20 anos!!!!! Como o trailer também já dá a entender – e o diretor Zack Snyder disse em uma entrevista – “a história do Batman está toda lá”. Isso inclui Robin(s) e tudo mais. Então, podemos até supor que algumas “histórias clássicas” já ocorreram na cronologia definida pelo filme, como deve ser o caso de Morte em Família, na qual o Coringa mata o Robin Jason Todd, algo que é referendado pelo trailer do filme.

Então, partindo disso, aqui vai uma lista de histórias que poderemos ver em breve na nova trilogia de filmes do Batman.

O Capuz Vermelho em seu filme: velho aliado.
O Capuz Vermelho em seu filme: velho aliado.

CONTRA O CAPUZ VERMELHO

Escrita por Judd Winick e desenhada por Doug Manhke, publicada em Batman 635 a 641 e 645 a 650, de 2005 e 2006.

O Coringa matou Jason Todd, certo? Errado! Nesta aventura (já clássica) dos anos 2000, o submundo de Gotham City é abalado quando um novo criminoso chega para matar todo mundo e ficar com o poder para si: o Capuz Vermelho, uma identidade criminosa que já foi usada por outras pessoas no passado. E qual não é a surpresa do Batman ao confrontá-lo e descobrir que o jovem assassino é ninguém menos do que o próprio Jason Todd?

A ressuscitação do personagem nem é tópico da trama (que nem vale à pena desenvolver, já que está ligada à megassaga Crise Infinita), mas o efeito disso rende uma trama muito boa. Em meio ao fogo cruzado do Capuz Vermelho com o Máscara Negra (então, o principal gangster da cidade), o cavaleiro das trevas tem que prestar contas com seu passado e seus erros.

Tendo em vista o detalhe do Robin no trailer de A Origem da Justiça, a trama de Contra o Capuz Vermelho pode terminar rendendo um bom filme. Recomendamos assistir a versão em desenho animado em longametragem da história, que é uma das melhores animações já feitas com o Batman.

Batman versus o Garra.
Batman versus o Garra.

A CORTE DAS CORUJAS

Escrita por Scott Snyder e desenhada por Greg Capullo, publicada em Batman 01 a 12, de 2011 e 2012.

Que tal levar aos cinemas uma trama novinha em folha? A Warner pode se decidir por esta trama que inaugurou a empreitada Os Novos 52. Na trama, Batman descobre uma grande conspiração nos submundos de Gotham City, que envolvem uma organização secreta chamada A Corte das Corujas. Um cartel criminoso infiltrado em todos os lugares, que ninguém sabia da existência e que manipula a história da cidade desde o século XIX.

Para piorar, a organização faz uso do Garra, um agente de força ampliada e praticamente imbatível. E com um visual ótimo!

O que pode um homem sozinho contra uma força assim?

É um suspense com grandes batalhas e potencial cinematográfico. Também seria uma oportunidade dos filmes não se repetirem e investirem em abordagens novas, em vez de ter que usar de novo Coringa, Charada ou Pinguim.

Luva Negra: outra conspiração.
Luva Negra: outra conspiração.

A LUVA NEGRA

Escrita por Grant Morrison e desenhada por Tony Daniel em Batman 676 a 681, de 2008 e 2009.

Num estilo similar à Corte das Corujas (e publicada antes), o arco A Luva Negra (também chamado de Batman: R.I.P. ou Descanse em Paz) também traz uma organização secreta que age em Gotham e quer matar o Batman, liderada pelo enigmático Dr. Hurt. A trama desta é mais amalucada e envolve um plano sinistro para enlouquecer o Batman, o que leva o cavaleiro das trevas ao seu limite extremo.

Como subtrama, a saga envolve a presença de Damian Wayne, o filho de Bruce Wayne com Talia Head, a filha de Ra’s Al Ghul. Sob os cuidados do pai, o menino se transforma no novo Robin.

Não seria estranho ver um filme que mesclasse A Corte das Corujas com A Luva Negra bem ao estilo de Hollywood em uma grande trama de conspiração.

Jogos de Crime: trama de combate ao submundo.
Jogos de Crime: trama de combate ao submundo.

JOGOS DE GUERRA

Escrita por Andersen Gabrych e desenhada por Pete Woods em Detective Comics 797 a 800 e por Bill Willingham e Kisun Loft em Batman 631 a 634, de 2003 e 2004, dentre várias outras revistas.

Se o cinema estiver disposto a investir em um Batman mais violento e realista, combatendo o crime organizado de modo espetacular em Gotham City, esta poderia ser uma boa trama. Em Jogos de Guerra, uma das aliadas do Batman, a heroína adolescente Salteadora, termina sem querer espalhando um arquivo do computador do homem-morcego no qual há um plano de dominação do submundo do crime. E isso vai parar nas mãos do Máscara Negra, que termina pondo o plano em prática.

Agora, com um novo chefão do crime da cidade, Batman tem que usar toda a sua habilidade para conseguir refrear uma onda desordenada de criminalidade. E a morte de inocentes.

Novamente, seria a oportunidade de usar um vilão novo, em vez de voltar ao tradicional e uma trama bem pé no chão, caso Hollywood esteja interessada em um contraponto à fantasia da Liga da Justiça.

Silêncio: um vilão novo para o cinema.
Silêncio: um vilão novo para o cinema.

SILÊNCIO

Escrita por Jeph Loeb e desenhada por Jim Lee em Batman 608 a 619, de 2002 e 2003.

Nos quadrinhos, Silêncio é uma oportunidade de lançar um novo (e hábil) vilão, fazer mistério sobre sua identidade, desenvolver o relacionamento do Batman com a Mulher-Gato, apresentar vários vilões clássicos (destaque para Coringa, Crocodilo e Hera Venenosa) e ainda ter uma batalha rápida entre o homem-morcego e o Superman. Em termos estritos de história, Silêncio não é nem de longe bem resolvida como O Longo Dia das Bruxas, outra obra de Jeph Loeb, mas seria uma boa oportunidade de construir um filme baseado no plano mirabolante e genial de um vilão novo cuja identidade é secreta (bem, pelo menos para o grande público).

Não seria difícil, ainda, os roteiristas de Hollywood corrigirem ou mudarem alguns equívocos da história e, claro, seria necessário tirar o excesso de vilões e heróis convidados. Mas no fim, pode ser uma boa ideia. E se Warner pensar grande, Silêncio podia ser o primeiro capítulo de uma trilogia que teria Contra o Capuz Vermelho como segundo capítulo!

Arkham City: dos games para as telonas?
Arkham City: dos games para as telonas?

ASILO DE ARKHAM

Não, não estamos nos referindo à clássica história de 1989 escrita por Grant Morrison, mas sim, ao popularíssimo videogame Arkham Asilum ou Arkham City. Este jogo extremamente bem feito e popular deu vida nova ao mítico manicômio das histórias do Batman e seria uma grande aposta da Warner para um filme alucinado – em termos de ação – do homem-morcego.

Inclusive, não são poucos os rumores de que a trama do filme Esquadrão Suicida – que mostrará o Coringa na cadeia e, pelo que se diz, causando uma fuga em massa no final – serviria como ponte direta para o próximo filme solo do cavaleiro das trevas. Não é uma má ideia. Assim como na primeira parte da saga nos quadrinhos A Queda do Morcego (saiba mais aqui), uma trama que mostrasse uma fuga em massa do Asilo de Arkham seria uma oportunidade de ouro para (bem à moda da Hollywood pós-Marvel Studios) de apresentar uma série de vilões (clássicos) ao mesmo tempo e fazer o Batman cair no pau contra todos eles. Coringa (de Jared Leto) incluso!

Ou o filme poderia utilizar-se diretamente da trama da franquia do jogo: há uma rebelião interna no Arkham e os prisioneiros tomam o poder lá dentro, obrigando o Batman a entrar sozinho e ter que encarar todos lá dentro. Nada mau.

De fato, se fosse para apostar as fichas, diríamos que esta história é a mais provável de ir aos cinemas em 2018. Mas fique ligado nas outras porque ainda há outros dois filmes!

Uma história simples e eficaz.
Uma história simples e eficaz.

Bônus: Penitência

Escrita por Greg Rucka e desenhada por Steve Lieber e Rick Burchett em Detective Comics 773 a 775, de 2002.

Este aqui é um puro exercício nerd. Claro que Penitência jamais chegará aos cinemas: a trama é um apêndice da saga Bruce Wayne: Assassino/ Fugitivo, na qual um vilão misterioso arma uma armadilha para Bruce Wayne (e não para o Batman) forjando uma acusação de assassinato quase perfeita. (Saiba mais aqui). Quando a história termina vem Penitência, na qual o Batman ataca impiedosamente a organização secreta conhecida como Xeque-Mate apenas para conseguir falar com a personagem Sasha Bourdeaux. É uma daquelas histórias curtas e singelas (apenas três partes), mas que mostra porque o Batman é o melhor ou nas palavras de um certo homem de aço “o homem mais perigoso do mundo”.

Mas pensando bem, Hollywood podia adaptar essa história envolvendo o Xeque-Mate com o Esquadrão Suicida e Amanda Waller e com uma motivação um pouco diferente…

***

Claro, poderia haver dezenas de outras histórias nesta lista, mas estas histórias combinam qualidades de “melhores” com “mais populares” dos últimos anos e, realmente, parece haver um “clima” para adaptarem histórias mais recentes, em vez de voltar aos velhos clássicos do personagem.

E você, leitor, qual seria sua aposta na trama para o próximo filme do Batman? Responda nos comentários!

Batman foi criado pelo cartunista Bob Kane, estreando na revista Detective Comics 27, de 1939 e desde então é publicado pela DC Comics.

Anúncios