Michelle MacLaren irá mesmo dirigir o filme da Mulher-Maravilha.
Michelle MacLaren irá mesmo dirigir o filme da Mulher-Maravilha.

Os rumores de dias atrás se confirmaram: Michelle MacLaren irá mesmo dirigir Mulher-Maravilha, filme que adaptará a mais icônica das super-heroínas, publicada nas revistas da DC Comics e levada aos cinemas pela Warner Bros. Quem confirmou a informação foi o site The Hollywood Reporter que também acrescentou que ela – famosa por dirigir episódios de Games of Thrones e Walking Dead – também irá escrever o roteiro ao lado de outros escritores. Quem eles são ainda não foi revelado, mas não é impossível que David Goyer (de Superman – O Homem de Aço) esteja envolvido.

Zack Snyder (o diretor de O Homem de Aço e de Batman v Superman – Dawn of Justice) também está envolvido como produtor e deve contribuir com a premissa da história.

O site disse que ela está em negociações com o estúdio desde agosto. A Warner sempre quis que uma diretora mulher comandasse o filme, tendo em vista a importância icônica da personagem.

A Mulher-Maravilha será vivida por Gal Gadot.
A Mulher-Maravilha será vivida por Gal Gadot.

Rumores indicam que a abordagem à personagem no cinema será igual à dos quadrinhos atuais: Diana é uma semideusa, filha do todopoderoso Zeus com Hipólita, a rainha das Amazonas, que vivem escondidas do resto do mundo na mítica Themysciria, também chamada de Ilha Paraíso, numa sociedade só de mulheres.

Não há nenhum tipo de detalhe oficial relacionado com o filme Wonder-Woman, mas rumores falam que o longa seria uma obra de época, passada nos anos 1920. A data de estreia está marcada para 23 de junho de 2017. A personagem será vivida pela atriz israelense Gal Gadot e aparece primeiramente em Batman v Superman – Dawn of Justice, que chega aos cinemas em 2016; e também estará em Justice League – Part 1, na época de seu filme solo.

A Mulher-Maravilha foi criada pelo psicólogo norteamericano William Moulton Marston e o desenhista H. G. Peters, aparecendo na revista All-American Comics 08, em 1941. A ideia de Marston era apresentar um arquétipo do força do feminino e, em segredo, explorar tendências sexuais não tradicionais à sociedade da época (como bigamia, lesbianismo e sadomasoquismo). A personagem fez bastante sucesso e se manteve sendo publicada até hoje pela DC Comics. Ela foi uma dos membros-fundadores da Liga da Justiça em 1960. A Mulher-Maravilha continua representando um símbolo da força das mulheres no mundo atual, sendo a mais icônica das super-heroínas.

Anúncios