Superman ganha uma série de TV em que o Superman não aparece.
Superman ganha uma série de TV em que o Superman não aparece.

Superman, o mais icônico dos super-heróis, publicado pela editora DC Comics, pertencente ao conglomerado Warner Bros. sempre foi um dos personagens que mais foi adaptado às outras mídias. E sua carreira prossegue. Além de uma série de TV Supergirl, pautada na heroína que é prima do homem de aço, a Warner TV também desenvolve outro projeto: uma série de TV chamada Krypton. É o que diz o site Bleeding Cool hoje. Segundo suas fontes, o estúdio está mais do que satisfeito com o sucesso da série Gotham, que mostra as longínquas origens do Batman (saiba mais aqui); por isso, quer ir pelo mesmo caminho com o Superman.

Segundo o site, Krypton mostraria não o herói, mas os últimos dias do planeta homônimo, “talvez envolvendo A Casa de El, talvez Brainiac, talvez um culto do fim do mundo, talvez dragões voando ao redor”. Ou seja, uma série que poderia expandir o rico panorama que envolve o nascimento de Kal-El, a criança que, no futuro, será o Superman, e a trama que culmina na destruição de Krypton; fatos mostrados de maneira competente (mas acelerada) em filmes como Superman – O Homem de Aço, sem esquecer a clássica abordagem de Superman – O Filme, de 1978.

Krypton na órbita do sol Rao na versão de Smallville.
Krypton na órbita do sol Rao na versão de Smallville.

A história todo mundo conhece: o cientista Jor-El descobre que o planeta Krypton está à beira da destruição, mas o Conselho que administra o planeta não lhe dá créditos. As descobertas de Jor-El causam o surgimento de cultos fanáticos sobre o fim do mundo, ao mesmo tempo em que o renegado General Zod tenta dar um golpe de Estado e tomar o poder. Zod é preso e Jor-El é impedido de sair alardeando suas teorias. Convicto que a vida em Krypton vai mesmo chegar ao fim, Jor-El e sua esposa Lara Lor-Van criam um plano mirabolante de enviar seu filho recém-nascido, Kal-El, em uma nave protótipo, à Terra, onde poderia sobreviver e teria habilidades especiais. A nave com o bebê parte quase que imediatamente ao momento em que Krypton explode, matando todos os seus habitantes.

O design da cidade de Kandor, capital de Krypton, em Smallville.
O design da cidade de Kandor, capital de Krypton, em Smallville.

Expandido, esse pano de fundo pode mesmo render uma grande trama de ficção científica em uma série de TV. Krypton poderia até adaptar o romance Os Últimos Dias de Krypton, do escritor Kevin J. Anderson, que narra toda essa trama em detalhes, focando na ambiência política, num livro bastante elogiado pela crítica especializada. Está disponível nas livrarias brasileiras pela editora Fantasy.

O livro de Anderson: inspiração?
O livro de Anderson: inspiração?

Segundo o Bleeding Cool, o escritor David S. Goyer está envolvido com a produção de Krypton. Ele é o roteirista de Superman – O Homem de Aço, bem como de outros produtos da TV, como a série Da Vince Demon’s. Com seu envolvimento, Krypton poderia expandir os eventos narrados naquele filme, utilizando-se do mesmo universo ficcional e ligando-se às produções cinematográficas recentes do homem de aço. Seria bem possível.

Não há detalhes sobre a série e sequer uma confirmação.

A nave de Kal-El decola de Krypton em seu momento final por John Byrne.
A nave de Kal-El decola de Krypton em seu momento final por John Byrne.

Enquanto isso, Supergirl irá mesmo acontecer, trazendo as aventuras de Kara Zor-El, uma prima kryptoniana do Superman que também sobrevive e chega à Terra. O Superman já teve várias versões na TV, sendo as mais recentes a série Lois & Clark – As Novas Aventuras do Superman, com 4 temporadas nos anos 1990; e Smallville, narrando as aventuras do jovem Clark Kent da adolescência à vida adulta, antes de se tornar o homem de aço, com 10 temporadas, encerrando-se em 2012.

Superman voltará aos cinemas em 2016 com o filme Batman v Superman – Dawn of Justice, que serve tanto como sequência de O Homem de Aço, como o pontapé inicial para a formação da Liga da Justiça nos cinemas.

Superman foi criado por Jerry Siegel e Joe Shuster em 1938 e desde então é publicado pela DC Comics.

 

Anúncios