O Soldado Invernal: o que esperar da sequência?
O Soldado Invernal: o que esperar da sequência?

Nos últimos dias, o lançamento em DVD/Blu-ray de Capitão América 2 – O Soldado Invernal (Captain America – The Winter Soldier), sequência de Capitão América – O Primeiro Vingador e de Os Vingadores, com as aventuras-solo do herói criado pela Marvel Comics, levado aos cinemas pelo Marvel Studios e Disney, ensejou uma série de entrevistas com atores e, principalmente, com os diretores Anthony e Joe Russo. Um dos temas preferidos das entrevistas foram rumores sobre o já esperado Capitão América 3, que chegará aos cinemas em 2016 e começará a ser filmado no ano que vem. Neste momento, estão sendo realizadas alterações no roteiro do futuro longa.

Em meio à chuva de especulações, o HQRock faz um post especial analisando que histórias do sentinela da liberdade podem ganhar a vida em live action. De pistas, temos a declaração dos Russo Brothers que a subtítulo do filme já deixará bem claro que grande evento irá abalar as estruturas do Universo Marvel nos Cinemas.

Primeiro, vejamos o que já é certo a partir de declarações ou por lógica:

  • A trama de Os Vingadores 2 – A Era de Ultron, que sai em 2015, terá grande implicação em Capitão América 3. Steve Rogers pode formar uma nova equipe de heróis (com Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Feiticeira Escarlate, Mercúrio, Visão, Falcão, Máquina de Combate e personagens que sequer ainda apareceram, como Pantera Negra e Miss Marvel). Menções a essa equipe (ou mesmo sua participação efetiva) podem ser esperadas no próximo filme.
  • Os personagens Falcão, Soldado Invernal e Sharon Carter estão confirmadíssimos em Capitão América 3. Viúva Negra e/ou Gavião Arqueiro também podem aparecer, assim como Nick Fury e Maria Hill.
  • O Soldado Invernal passar de vilão a (anti)herói será um dos subtemas de Capitão América 3. A caçada ao personagem é parte importante da trama.
  • A HIDRA estará em A Era de Ultron. Mas se a organização terrorista não for totalmente derrotada naquele filme, pode continuar oponente em Capitão América 3.
O Soldado Invernal deve continuar a ter destaque na sequência.
O Soldado Invernal deve continuar a ter destaque na sequência.

Com base nessas informações, vejamos que histórias do Capitão América podem estampar o subtítulo de Capitão América 3. Vale lembrar que é algo bombástico e que, segundo os irmãos Russo, é um título que o presidente do Marvel Studios, Kevin Feige, já sabe que vai realizar faz 10 anos.

GUERRA CIVIL E A MORTE DO SONHO

Guerra Civil: marco moderno do Universo Marvel.
Guerra Civil: marco moderno do Universo Marvel.

Esta trama seria uma boa aposta para fechar em grandíssimo estilo a (primeira?) trilogia do sentinela da liberdade e, de certo modo, criar sérios problemas (dramáticos) para Os Vingadores 3, que sai em seguida.

Na trama, o grupo de heróis de segunda, Os Novos Guerreiros, causam sem querer uma grande tragédia e mais de 600 pessoas, a maioria crianças, morrem em uma explosão. Como resultado, o Governo dos EUA aprova a Lei de Registro de Super-Humanos, que obriga a todos aqueles que tenham poderes a se registrar: revelar seus nomes e endereços e receber um treinamento do Governo. Na época, Tony Stark, o Homem de Ferro,era o Secretário de Defesa dos EUA e o Diretor da SHIELD, de modo, que aprova a lei e torna-se o seu maior defensor público. Por outro lado, toda uma facção de super-heróis, liderada pelo Capitão América, se coloca contra a lei, por entendê-la que ofende aos Direitos Civis dos cidadãos. Mas lei é lei e o Homem de Ferro quer obrigar todos a segui-la, o que transforma o racha em uma guerra civil entre super-heróis. Logo, os Vingadores “legalistas“, com Homem de Ferro, Viúva Negra, Miss Marvel e outros passa a perseguir os Vingadores “fora da lei“, de Capitão América, Wolverine e Luke Cage. O Homem-Aranha desempenha um papel fundamental, assumindo um dos lados e depois mudando de ideia. O resultado não pode ser outro: uma grandiosa batalha entre Homem de Ferro e Capitão América que deixará sequelas para sempre.

Homem de Ferro versus Capitão América: também no cinema?
Homem de Ferro versus Capitão América: também no cinema? Arte de Steve McNiven.

Claro que uma história assim precisaria de muitas adaptações para funcionar no cinema. Para começar, muitos dos personagens importantes da trama das HQs sequer podem ser usados pelo Marvel Studios nos cinemas (pois pertencem a outros estúdios, como Fox e Sony). Também pode-se argumentar que Guerra Civil funcionaria (talvez ainda melhor) como um filme dos Vingadores. Já que Os Vingadores 3 será (provavelmente) focado em Thanos e na Manopla do Infinito, poderia muito bem ser um Os Vingadores 4. Sem sombra de dúvidas seria um ótimo filme.

Capitão América é assassinado em "Captain America 25", de 2007.
Capitão América é assassinado em “Captain America 25”, de 2007. Arte de Steve Epting.

Mas tendo em vista a discussão ideológica por trás da Lei de Registro, funcionaria como um filme do Capitão América. Outro ponto interessantíssimo é que uma das principais consequências da Guerra Civil é o Capitão América ser preso (sua facção “fora da lei” perde o confronto) e ao ser levado a julgamento acaba sendo morto por uma saraivada de tiros, fruto de uma grande conspiração arquitetada pelo Caveira Vermelha. Isto é mostrado na saga A Morte do Sonho, na revista própria do personagem. Com o desaparecimento de Steve Rogers, o Soldado Invernal – já totalmente recuperado da vilania – termina por se tornar um novo Capitão América; algo que funcionaria no cinema como uma solução ao caso do ator Chris Evans não querer continuar na pele do personagem. Em vez de substituí-lo por um ator mais jovem, simplesmente matá-lo.

O Soldado Invernal vira o novo Capitão América. Traço de John Romita Jr.
O Soldado Invernal vira o novo Capitão América. Traço de John Romita Jr.

Isso tiraria, contudo, Steve Rogers de Os Vingadores 3 e acho difícil isso acontecer. Outro ponto negativo é que os próprios irmãos Russo falaram ao site Desde Hollywood hoje e disseram que acham que a Guerra Civil não será adaptada aos cinemas porque é muito complexa e usa muitos personagens. Estão dispersando o público ou são sinceros?

Guerra Civil foi publicada como uma minissérie em sete partes pela Marvel, Civil War 01 a 07,  entre 2006 e 2007, com textos de Mark Millar e desenhos de Steve McNiven. Por sua vez, A Morte do Sonho apareceu em Captain America (vol 05) 25-30, de 2007, com textos de Ed Brubaker e arte de Steve Epting, a mesma dupla da história O Soldado Invernal que inspirou o filme anterior.

GUERRA SECRETA

Guerra Secreta: trama política e terrorismo.
Guerra Secreta: trama política e terrorismo.

Não, não é a famosa saga dos anos 1980 – que era Guerras Secretas – mas a minissérie mais intimista dos anos 2000. Guerra Secreta é uma trama que lida com problemas do mundo contemporâneo – células terroristas, tráfico internacional de armas, espionagem – mas os coloca sobre a ótica dos superhumanos. Na trama, Nick Fury descobre que o vilão Dr. Destino está produzindo tecnologia e distribuindo armas para os supervilões em geral do universo Marvel, então, organiza um time secreto para impedir o processo. O problema é que Victor Von Doom é o rei da Latvéria, país do leste europeu, e usa a Primeira-Ministra daquele país, Lucia Bardas, como testa de ferro. Assim, o grupo tem que secretamente invadir um país estrangeiro e tentar prender (ou matar?) um governante, tudo sem o conhecimento da ONU ou do Governo dos EUA. Fury reúne uma equipe com Capitão América, Homem-Aranha, Wolverine, Demolidor, Luke Cage e mais alguns outros para a missão.

O Capitão não gosta muito do plano, mas concorda por causa do grande mal que Destino causa no mundo. Contudo, o herói pretende tornar públicos os planos do vilão, para que ele responda por isso; enquanto Fury planeja (e executa) um plano de matar a assistente de Von Doom responsável pelo esquema, o que implica em um assassinato em terra estrangeira. Fury é bem-sucedido, mas em consequência, o impacto internacional da ação á catastrófico, resultando na demissão de Fury da liderança da SHIELD e no fato do personagem se tornar um fora da lei internacional, perseguido pela ONU. Em termos editoriais, Guerra Secreta foi o teste para a formação dos Novos Vingadores que, coincidentemente, teriam quase a mesma formação da equipe secreta de Fury.

Guerra Secreta pode muito bem embasar Capitão América 3, na medida em que Steve Rogers e Nick Fury precisam continuar caçando a HIDRA, que pode estar infiltrada em outras agências além da recém-desmantelada SHIELD. O elemento “dar errado” também pode ser bem interessante para um filme e a trama pode facilmente substituir o Dr. Destino – que pertence à Fox junto à franquia do Quarteto Fantástico – a outro vilão, como o Barão Zemo, como um mandatário estrangeiro. Também seria possível incluir outros vilões como agentes da HIDRA, como o Ossos Cruzados. E até o Caveira Vermelha poderia voltar!

Também bem ao estilo do Capitão América, poderiam haver outros heróis como os já citados lá em cima.

Guerra Secreta foi publicada como uma minissérie em cinco edições em Secret War 01 a 05, de 2004 e 2005, com texto de Brian Michael Bendis e pinturas de Gabrielle Dell’Otto.

IMPÉRIO SECRETO

Império Secreto: clássico político.
Império Secreto: clássico político. Arte de John Romita.

Esta é a saga mais famosa do Capitão América nos anos 1970 e tem uma grande trama de conspiração, na qual o herói combate uma organização misteriosa chamada Império Secreto, até descobrir, no final, que o líder dela é ninguém menos do que o Presidente dos Estados Unidos! E pior: ao ser desmascarado na Casa Branca pelo Capitão, o presidente comente suicídio! Desolado pela descoberta, um desiludido Steve Rogers resolve abandonar a identidade de Capitão América e torna-se um novo vigilante chamado O Nômade.

Algo da ambientação de Império Secreto já foi usada em O Soldado Invernal, mas vários elementos da trama poderiam ser adaptados para um novo filme, como a substituição do Império Secreto pela HIDRA e o fato do presidente dos EUA ser um agente da organização terrorista. Claro que isso correria o risco de fazer um filme meio repetitivo em relação a O Soldado Invernal, mas não duvide de alguns elementos dessa trama aparecerem em Capitão América 3, como Steve Rogers adotando um novo nome e uniforme.

Império Secreto foi publicada dentro da própria revista mensal do personagem, Captain America 169-176, de 1974, por Steve Englehart, Mike Friedick (textos), Sal Buscema (arte) e capas de John Romita.

NUNCA MAIS

O confronto entre Rogers e Walker em Captain America 300. Arte de Kieron Dwyer.
O confronto entre Rogers e Walker em Captain America 300. Arte de Kieron Dwyer.

Este longo arco de histórias é, de muitas maneiras, uma releitura de A Saga do Império Secreto para os anos 1980. Neste caso, o Governo dos EUA forma a Comissão de Assuntos Superhumanos para lidar com a questão no universo Marvel e a Comissão termina percebendo que o Capitão América foi criado pelo Governo e seu uniforme é de autoria de um funcionário público. Por isso, o personagem deveria voltar a agir sob os auspícios do governo. Steve Rogers rebate que tem defendido o país por meio de sua ação individual e por meio da SHIELD e dos Vingadores (ambas as equipes vinculadas à ONU). Mas a Comissão é irredutível que ele deve se submeter ao Governo, ou seja, à presidência.

Após refletir um pouco, Steve Rogers então decide acatar o “senão” da Comissão: devolver o uniforme e o escudo ao governo. Assim, passa a usar um novo uniforme – quase totalmente preto – e continuar a agir de modo independente (sob o nome apenas de Capitão); enquanto o Governo treina um novo Capitão América na figura do aventureiro John Walker, que usava o nome de Super-Patriota. O resultado em longo prazo é catastrófico: Walker se transforma em um psicótico violento e assassino ao mesmo tempo em que Steve Rogers descobre que o Caveira Vermelha está por trás da Comissão. No fim, ao derrotar os vilões, o governo decide lhe devolver o direito de usar o uniforme e o nome.

Esses elementos poderiam cair como uma luva em Capitão América 3, pensando, por exemplo, nas consequências do Capitão e seus amigos terem simplesmente derrubado a SHIELD. A HIDRA poderia estar infiltrada no governo e na Comissão e o Caveira Vermelha poderia ser o vilão de novo. Por isso, fiquem ligados!

Capitão América: Nunca Mais foi publicada em um longo arco que durou dois anos, na revista Captain America 332 a 350, de 1987 a 1989, com textos de Mark Gruenwald e desenhos de Tom Morgan e Kieron Dwyer.

HERÓI OU AMEAÇA?

Capitães América em guerra! Arte de Sal Buscema.
Capitães América em guerra! Arte de Sal Buscema.

Muitos fãs apostaram nessa trama para Capitão América 3. E poderiam até estar certos… Nesta trama, outra famosa dos anos 1970, o Capitão América descobriu que teve um substituto enquanto permanecia congelado no Ártico (e todos pensavam estar morto) até ser resgatado nos dias atuais pelos Vingadores. Nesse tempo, em 1953, um professor de história descobriu uma versão do Soro do Supersoldado e decidiu aplicar em si mesmo e em um aluno, chamado Jack Monroe, resultando no surgimento de uma nova dupla Capitão América e Bucky. Mas o soro estava incompleto e os dois terminam enlouquecendo, virando vigilantes violentos e niilistas. O governo consegue prendê-los e mantê-los em animação suspensa até uma cura surgir. Então, no presente, a dupla é solta e, logo, Steve Rogers (e o Falcão e Sharon Carter) precisam combatê-los.

Mais tarde, ambos os personagens seriam reaproveitados em outras situações. Jack Monroe seria curado da pertubação mental e se transformaria no vigilante chamado Nômade, usando o uniforme outrora criado por Steve Rogers. Já o Capitão América dos anos 1950 terminaria sofrendo uma lavagem cerebral por parte do vilão Dr. Fautus e viraria o vilão conhecido como Grande Diretor.

Os próprios irmãos Russo já comentaram a possibilidade de usar o Capitão dos anos 1950 em um filme, dizendo que ele renderia 30 minutos de trama, para mostrar que os EUA tentaram reproduzir o soro do supersoldado, mas não se mostraram muito interessados em fazer isso. Contudo, é algo que o Marvel Studios pode mesmo usar para preencher o tempo entre Capitão América – O Primeiro Vingador e Homem de Ferro. Contudo, tendo em vista as outras opções mais interessantes, diria que esta é a menos provável das alternativas.

De qualquer modo, um alerta: a trama de novas tentativas de recriar o Soro do Supersoldado já existe no Universo Marvel nos Cinemas. É ela quem dá origem ao Hulk em O Incrível Hulk, fato novamente citado em Os Vingadores, adicionado de um “vários outros tentaram”.

Herói ou Ameaça? foi publicada na revista Captain America 153 a 156, de 1972, com textos de Steve Englehart e arte de Sal Buscema.

E aí, qual é a sua aposta? Qual dessas tramas vai parar em Capitão América 3? Escreva nos comentários.

***

Capitão América 3 manterá os roteiristas Christopher Markus e Stephen McFeely e a direção dos irmãos Joe Anthony Russo. Não há confirmações, mas provavelmente, o elenco terá Chris Evans (Steve Rogers/Capitão América), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/ Viúva Negra), Samuel L. Jackson (Nick Fury),  Sebastian Stan (Bucky Barnes/Soldado Invernal), Anthony Mackie (Sam Wilson/Falcão),  Cobie Smulders (Agente Maria Hill), Frank Grillo (Brock Rumlow/ Ossos Cruzados), Emily VanCamp (Sharon Carter/ Agente 13), dentre outros. As filmagens iniciam em abril de 2015. O longametragem será parte da Fase 3 do Universo Marvel nos Cinemas, que deve culminar em Os Vingadores 3, em 2019. A estreia será em 06 de maio de 2016.

O Capitão América foi criado por Jack Kirby e Joe Simon em 1941 e foi o maior sucesso dos anos iniciais da Marvel Comics. Após décadas sem ser publicado, foi resgatado para as histórias modernas em Avengers 04, de 1964, por Stan Lee e Jack Kirby, numa história dos Vingadores, grupo que passou a liderar a partir de então.

 

 

 

Anúncios