David Gilmour: novo disco do Pink Floyd?
David Gilmour: novo disco do Pink Floyd?

A notícia pegou todo mundo de surpresa ontem. No Twitter, a esposa do guitarrista David Gilmour, Polly Samson (que atuou como letrista ao lado da banda) revelou que a banda britânica Pink Floyd, uma das de maior sucesso e importância da história do rock, irá lançar um novo álbum em 2014, no mês de outubro. O disco se chamaria The Endless River e é o primeiro do grupo desde exatamente 20 anos, quando chegou às lojas The Division Bell, de 1994.

Depois, a backing vocalista (vocalista de apoio) Durga McBroom-Hudson (que acompanhou o Pink Floyd em gravações e shows ao vivo nos anos 1980 e 1990) também falou sobre o novo álbum, dizendo que fez gravações para algumas das canções.

Ninguém esperava por isso: o Pink Floyd encerrou oficialmente suas atividades em 1996, após o fim da turnê de promoção de The Division Bell, e depois disso, apenas fez algumas reuniões esporádicas. Além disso, o tecladista Richard Wright morreu de câncer em 2008.

The Division Bell, o último álbum da banda, em 1994.
The Division Bell, o último álbum da banda, em 1994.

As informações de Samson e Hudson permitem perceber que, na verdade, o novo álbum será composto de material instrumental gravado nas sessões de 1994 para The Division Bell, que trouxeram a última formação do Pink Floyd, com David Gilmour nos vocais e guitarra, Richard Wright nos teclados e vocais e Nick Mason na bateria, além de alguns músicos de apoio.

As informações confirmam que este é o antigo projeto conhecido como The Big Spliff, que já fora mencionado por Nick Mason em entrevistas. Na verdade, pelo que sabemos hoje, as gravações de The Division Bell envolveram a gravação de muitas canções instrumentais, algumas das quais usadas na trilha sonora do documentário La Carrera Panamericana, sobre uma corrida de automóveis da qual participou Mason como corredor. Também muitos materiais foram registrados e não usados no álbum, já que inclusive serviram de base para o último álbum solo de Richard Wright, chamado Broken China, lançado alguns anos depois.

O Pink Floyd nos anos 1990: Giomour, Manson e Wright.
O Pink Floyd nos anos 1990: Giomour, Manson e Wright.

Pelas declarações de Hudson, David Gilmour e Nick Mason decidiram resgatar esse material e transformá-lo em novas canções, inclusive, acrescentando letras e vocais às músicas instrumentais existentes. Desse modo, será um álbum de canções inéditas, mas que ainda envolverá o falecido Wright, que tocou naquelas sessões.

Não houve uma declaração oficial do Pink Floyd, mas especula-se que a banda irá anunciar oficialmente o projeto na segunda-feira. Também existe a esperança de que o baixista Roger Waters – que deixou a banda em 1985 – participe de algum modo no disco, já que poderia acrescentar letras e vocais às canções. Caso isso acontecesse, seria o primeiro álbum envolvendo a “formação clássica” do Pink Floyd desde The Wall, de 1979.

O quarteto clássico reunido pela última vez, em 2005, no Live 8: Gilmour, Waters, Mason e Wright.
O quarteto clássico reunido pela última vez, em 2005, no Live 8: Gilmour, Waters, Mason e Wright.

Apesar da saída de Waters ter sido traumática e ruidosa, houve uma reaproximação entre Waters e Gilmour nos últimos anos, com os dois tocando juntos em algumas ocasiões; a reunião do quarteto pela última vez (em 2005, no concerto do Live 8); e na abertura da turnê solo de Waters em 2012. Quem sabe?

Curiosamente, o próprio HQRock já noticiou que tanto Gilmour quanto Waters estavam trabalhando em álbuns individuais. Será que há correlação entre todos esses projetos?

[Atualizado, 07/07: De fato, nesta segunda-feira, o site oficial do Pink Floyd confirmou a notícia: The Endless River será lançado em outubro deste ano e será majoritariamente composto por canções instrumentais. O lançamento cita nominalmente David Gilmour, Richard Wright e Nick Mason; o que exclui automaticamente Roger Waters. A menos que o conjunto queira fazer algum tipo de surpresa…

Também foi informado que as gravações do álbum ainda estão acontecendo, já que Gilmour e Mason estão finalizando as canções, que foram gravadas em 1994. Fim da Atualização].

Roger Waters não faz parte do projeto.
Roger Waters não faz parte do projeto.

[Atualizado, 08/07: O site do jornal The Sun, da Inglaterra, trouxe a confirmação de que Roger Waters não irá mesmo fazer parte do álbum, como já se esperava. De fato, tendo em vista o modo extremamente crítico com que o compositor se portou sobre o material da banda produzido após a saída dele do grupo, seria muito estranha sua participação nesse projeto. Mesmo que do ponto de vista meramente conceitual, como são canções instrumentais, não seria difícil imaginar Waters acrescentar letras e seu baixo a algumas delas, como uma maneira de selar minimamente um “acerto” com o grupo.

Waters foi o principal compositor e letrista do Pink Floyd ao longo dos anos 1970 e a grande força motriz da banda. Fim da Atualização].

***

O Pink Floyd surgiu em Londres, em 1965, e se tornou um dos maiores exponentes do Movimento Psicodélico com seu primeiro disco, em 1967. Era formado por Syd Barrett(vocais e guitarra), Roger Waters (baixo e vocais), Richard Wright (teclados e vocais) e Nick Mason (bateria), mas o primeiro foi substituído por David Gilmour em 1968. Depois, a banda se tornou uma das fundadoras do chamado rock progressivo e após anos na cena underground, alçou à categoria de uma das bandas mais populares do planeta pelo sucesso do disco Darkside of the Moon, de 1973. O grupo viveu várias crises nos anos 1980, que resultou na saída de membros, e encerrou as atividades em 1996. Poucas reuniões ocorreram depois disso.

Anúncios