Legião Urbana: Jornal diz que banda voltará a fazer turnê com nova formação

A nova Legião? Retorno aos palcos!

A nova Legião? Retorno aos palcos!

Em seu blog no jornal Estado de São Paulo (o Estadão), Marcelo Rubens Paiva afirmou hoje que a Legião Urbana, a banda de rock de maior sucesso da história do Brasil, irá retomar as atividades e fazer uma turnê. Segundo ele, os vocais ficarão a cargo de Andre Frateschi, cantor do circuito alternativo e de bares de São Paulo, que ocupará o lugar de Renato Russo, lendário cantor e compositor, líder do grupo, falecido em 1996.

A “reunião” da Legião Urbana é fruto do fim da batalha judicial que envolveu o nome do grupo após a morte de Renato Russo. A família dele, liderada pelo herdeiro Guiliano Manfredini, desde então, tenta proibir que Dado Vila-Lobos (guitarra) e Marcelo Bonfá (bateria), os membros remanescentes da banda, usem o nome do conjunto ou tenham qualquer tipo de participação nas decisões artísticas e comerciais em torno da marca.

O litígio se arrastou por quase 20 anos e se resolveu nos tribunais em 2014, com a Justiça dando ganho de causa a Vila-Lobos e Bonfá. Em consequência, a dupla ficou permitida de usar o nome da banda e até excursionar, respeitando 12 meses após a decisão.

A Legião Urbana original, com Vila-Lobos, Russo e Bonfá.

A Legião Urbana original, com Vila-Lobos, Russo e Bonfá.

Segundo o Estadão, a Legião já ensaia em estúdios do Rio de Janeiro e prepara seu retorno. Nas imagens que Bonfá vem publicando no Facebook aparecem, além da dupla remanescente, Andre Frateschi e o baixista do Planet Hemp, Formigão.

A revista Rolling Stone Brasil já apurou que se planeja uma turnê de 25 datas passando por todo o Brasil até novembro. A direção do espetáculo será de Felipe Hirsch.

A última reunião do grupo foi em um show tributo em 2012, no qual os vocais ficaram com o ator Wagner Moura. Naquele mesmo ano, a dupla também tinha se apresentado no Programa Altas Horas da Rede Globo.

A Legião Urbana se formou em Brasília em 1982 e lançou seu primeiro disco três anos depois, tornando-se o grupo de maior sucesso (e prestígio) do rock brasileiro em toda a sua história. Liderado pelo cantor e compositor Renato Russo, contava com Dado Villa-Lobos (guitarras) e Marcelo Bonfá (bateria). A banda lançou nove álbuns oficiais de estúdio  e encerrou as atividades por causa da morte de Russo, aos 36 anos, em 1996, em decorrência de complicações causadas pelos vírus HIV.

Conheça a Discografia Completa da Legião Urbana clicando aqui!

Capitão América 3: Novas artes promocionais oficializam times rivais de Guerra Civil

Logo oficial do filme.

Logo oficial do filme.

Capitão América – Guerra Civil, sequência de Capitão América 2 – O Soldado Invernal e fecho da trilogia das aventuras-solo do herói criado pela Marvel Comics, levado aos cinemas pelo Marvel Studios e Disney Company, encerrou as filmagens no fim da semana passada, sob muito mistério e muita ansiedade dos fãs. Dentre as especulações, estavam como seria a divisão dos times rivais que vão emergir a partir da trama da obra. Alguns dias atrás, uma suposta lista dessas equipes havia sido informada, mas agora, o site Comic Book Movie revela artes promocionais do longametragem que, a despeito de não terem sido divulgadas pela própria Marvel, oficializam quem está ao lado de quem.

Veja nas imagens abaixo, os times de Steve Rogers e Tony Stark que surgiram a partir da Lei de Registro de Superseres, que divide os dois aliados, com o primeiro se opondo à regra e o segundo apoiando-a.

O time do Capitão América.

O time do Capitão América.

Ao lado do Capitão América, estão Homem-Formiga, Gavião Arqueiro, Sharon Carter, Falcão e o Soldado Invernal.

Ao lado do Homem de Ferro, estão Máquina de Combate, Viúva Negra, Pantera Negra e Visão.

O time do Homem de Ferro.

O time do Homem de Ferro.

De cara, chama a atenção duas coisas: as ausências de Homem-Aranha e Feiticeira Escarlate. A lógica supõe que o aracnídeo favorito dos fãs estará ao lado do Homem de Ferro, mimetizando a obra original dos quadrinhos, no qual Tony Stark utiliza do apreço comum pela tecnologia como uma estratégia de “ganhar” Peter Parker para seu lado, inclusive, incrementando seu uniforme e colocando novos recursos à sua disposição. Os fãs até esperam que o cabeça de teia repita a trajetória da HQ, começando o conflito ao lado do vingador dourado, mas depois, decepcionado e alarmado com as atitudes extremas e anti-éticas de Stark, termina virando a casaca e descambando para o time do Capitão América.

Quanto à Feiticeira Escarlate, os rumores anteriores – do site Heroic Hollywood – diziam que ela estará no time do Capitão América. Sua ausência na promo art, contudo, chama a atenção e lança ideias: será que ela será um tipo de carta na manga para um segundo momento da trama?

Além disso, não custa comentar que o Pantera Negra aparece no time de Stark, quando o presidente do Marvel Studios já tinha dito em entrevistas que a figura do Pantera Negra seria uma posição intermediária entre os dois polos opostos e que o personagem teria uma “agenda própria” no filme.

Os times em conflito.

Os times em conflito.

Por fim, é curioso que a figura de Sharon Carter, que não é uma vingadora, mas uma ex-agente da SHIELD, aparece no time do Capitão América. Nenhuma surpresa ela estar ao lado de Steve Rogers (nos quadrinhos eles são namorados e o romance deve até começar neste filme), mas sua posição dá a entender um papel maior da Agente 13 na trama do que se esperava antes.

Em outra notícia relacionada ao filme, rumores afirmam que, dentre as últimas cenas gravadas na semana passada, estava uma batalha entre o Capitão América e o Homem-Aranha. É realmente algo que os fãs esperam ver e que também ocorre na HQ original. Também foi dito que o protagonista do filme irá enfrentar o Homem de Ferro pelo menos duas vezes e que, numa delas, terá a ajuda do Soldado Invernal.

O personagem Bucky Barnes terminou O Soldado Invernal em uma situação indefinida – se se recuperou ou não da lavagem cerebral da HIDRA – mas com certeza sua recuperação total ocorrerá em Guerra Civil, restando saber se ele já inicia o longametragem são ou irá recobrar a consciência ao longo da trama. Também é importante salientar que Tony Stark tem motivos pessoais para caçar Barnes, já que em O Soldado Invernal o vilão Armin Zola diz a Steve Rogers que Barnes é o assassino dos pais do Homem de Ferro, simulando um acidente para encobrir sua ação.

***

Civil War foi publicada como um minissérie em sete partes, entre 2006 e 2007, com roteiro de Mark Millar e arte de Steve McNiven, sendo a história da Marvel mais importante daquela década, mudando o status quo dos personagens por anos.

No filme, uma tragédia fará o Governo dos EUA baixar uma lei que exige o controle dos superhumanos, abrindo um debate acirrado entre o Homem de Ferro (que defenderá a lei) e o Capitão América (que julgará que ela fere dos os direitos civis). O Homem-Aranha terá uma participação importante no filme como alguém que fica dividido entre as duas facções. Além de Tony Stark assumir um papel quase vilanesco, também teremos como vilões o Barão Zemo e Ossos Cruzados. Os personagens dos filmes do Capitão – Soldado Invernal, Falcão, Sharon Carter – e dos outros filmes da Marvel – Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Feiticeira Escarlate, Visão, Máquina de Combate e o estreante Pantera Negra – participarão do filme e se dividirão entre as duas facções. Guerra Civil também servirá de “abre-alas” para Vingadores – Guerra Infinita Parte 1 e Parte 2, que estreiam em 2018 e 2019, respectivamente.

Captain America – Civil Wartem direção dos irmãos Joe Anthony Russo e roteiro de Christopher Markus e Stephen McFeelyO elenco tem Chris Evans (Steve Rogers/Capitão América), Robert Downey Jr.(Tony Stark/ Homem de Ferro), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/ Viúva Negra),  Sebastian Stan (Bucky Barnes/Soldado Invernal), Anthony Mackie (Sam Wilson/Falcão), Frank Grillo (Brock Rumlow/ Ossos Cruzados) Daniel Brühl (Barão Zemo), Emily VanCamp (Sharon Carter/ Agente 13), Jeremy Renner (Clint Barton/ Gavião Arqueiro), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff/ Feiticeira Escarlate), Paul Bettany (Visão), Paul Rudd (Scott Lang/ Homem-Formiga), Don Cheadle(Coronel Jim Rhodes/ Máquina de Combate), Chadwick Boseman (T’Challa/ Pantera Negra), Martin Freeman (papel não-revelado), com participação especial de Tom Holland (Peter Parker/ Homem-Aranha) e Hayley Atwell (Peggy Carter). O longametragem é o primeiro da Fase 3 do Universo Marvel nos Cinemas. As filmagens estão ocorrendo em Berlim, na Alemanha e a estreia será em 06 de maio de 2016.

O Capitão América foi criado por Jack Kirby e Joe Simon em 1941 e foi o maior sucesso dos anos iniciais da Marvel Comics. Após décadas sem ser publicado, foi resgatado para as histórias modernas em Avengers 04, de 1964, por Stan Lee e Jack Kirby, numa história dos Vingadores, grupo que passou a liderar a partir de então.

Pink Floyd: Guitarrista David Gilmour confirma shows no Brasil

Confirmado: David Gilmour no Brasil.

Confirmado: David Gilmour no Brasil.

Essa é para comemorar!!! O guitarrista britânico David Gilmour, a principal voz da lendária banda Pink Floyd, uma das mais importantes da história do rock, confirmou os shows que fará no Brasil! Será a primeira vez o músico no país.

O HQRock já havia cantado a bola no palco dos rumores (veja aqui), mas agora, o jornal Destak, de São Paulo, confirmou a notícia, assim como o site ZH Entretenimento, de Porto Alegre.

Os shows serão os seguintes:

  • 12/12, Estádio do Palmeiras, São Paulo;
  • 14/12, Pedreira Paulo Leminsky, Curitiba;
  • 16/12, Arena do Grêmio, Porto Alegre.

Gilmour está lançando um novo álbum solo, chamado Rattle That Lock, e em breve embarcará numa turnê pela Europa, antes de aportar no Brasil.

Rattle That Lock é o sucessor de On A Island, lançado em 2006, e é o quarto álbum solo de David Gilmour, que foi o guitarrista e principal vocalista do Pink Floyd de 1968 até o fim oficial do grupo, em 1996. Nos últimos anos, o músico tem estado bem ativo, tendo lançado, junto ao Pink Floyd, o álbum instrumental The Endless River, em 2013, a partir de sessões de gravação dos anos 1990.

***

David Gilmour nasceu em Grantchester, na Inglaterra, e cresceu em Cambridge, cidade na qual conheceu Syd Barrett e Roger Waters ainda na adolescência. Estes dois formariam, em Londres, em 1965, a bandaPink Floyd. Após estourarem com um disco de sucesso, Barrett apresentou problemas mentais e Gilmour terminou substituindo o amigo na banda a partir de1968. A partir de então, Gilmour se transformou na voz, a guitarra e no rosto da banda, enquanto Waters era a grande força criativa nas composições. Depois de anos como uma das mais importantes bandas dounderground do Reino Unido, o Pink Floyd estourou para osucesso mundial em 1973, com o álbum Darkside of the Moon.

Com o passar dos anos, a tensão entre Waters e Gilmour foi aumentando até Waters abandonar o grupo em 1985. Gilmour comandou a última encarnação do Pink Floyd até1996, quando encerraram as atividades. Depois disso, ocorreram apenas algumas reuniões rápidas e o lançamento do álbum The Endless River, ano passado, formado a partir de sessões de gravação dos anos 1990.

Eric Clapton: Deus da guitarra lança filme de show nos cinemas

Eric Clapton: filme comemorativo dos 70 anos.

Eric Clapton: filme comemorativo dos 70 anos.

Um dos maiores guitarristas de todos os tempos, o britânico Eric Clapton lançará um filme nos cinemas com um concerto que comemora seus 70 anos de idade e seus 50 anos de carreira. Slowhand at 70 – Eric Clapton Live at Royal Albert Hall chega aos cinemas do mundo a partir de 14 de setembro. Não há ainda uma lista de cidades nas quais o filme será exibido, mas estará disponível em breve no site oficial do artista.

O concerto do filme foi realizado em maio deste ano na tradicional casa de espetáculos de Londres, que é a preferida do músico, que já fez mais de 200 apresentações na casa, desde o início de sua carreira, em 1963!

Como a Eagle Rock é uma das produtoras do filme, a obra deve ser lançada em DVD e Blu-ray ainda este ano. O filme tem direção de Paul Gambaccini e, além do show, traz depoimentos dos membros da banda que acompanha Clapton.

Eric Clapton nasceu em Ripley, na Inglaterra, em 1945, e foi um dos pioneiros da cena de R&B no país. Ele estreou profissionalmente na banda The Yardbirds, em 1963, e ganhou uma áurea mitológica quando entrou para os The Bluesbreakers de John Mayall, em 1965, e pichações com frase de “Clapton is god (Clapton é deus)” apareceram nos muros de Londres. Em seguida, alçou fama internacional como guitarrista do Cream, uma das mais famosas e importantes bandas de rock dos anos 1960. O grupo encerrou as atividades já em 1969 e Clapton montou o Blind Faith que gravou apenas um único álbum, de grande sucesso. Ele ainda montou a Derek and the Dominos, que gravou o antológico álbum Layla and Other Assort Love Songs, em 1970, e depois de um período de ostracismo causado pelo abuso de drogas, retomou a carreira – agora solo – em 1974, tornando-se de novo um dos maiores astros da música internacional.

O mais recente álbum do artista é Old Sock, de 2013, mas o guitarrista acabou de lançar a coletânea comemorativa Forever Man, com o melhor de sua extensa carreira.

Leia o post especial do HQRock sobre os 70 anos de Eric Clapton clicando aqui.

Superman: Diretor de Mad Max pode comandar O Homem de Aço 2

Superma vivido por Henry Cavill.

Superma vivido por Henry Cavill.

Um rumor interessante circulou a internet esta semana: o diretor australiano George Miller estaria sendo sondado para dirigir Superman – O Homem de Aço 2, sequência do reinício da franquia do personagem da editora DC Comics, levado aos cinemas pela Warner Bros., e que também deu origem à adaptação de todo o Universo DC às telonas. Todo mundo sabe que o último filho de Krypton volta aos cinemas no ano que vem a bordo de Batman vs. Superman – A Origem da Justiça, filme que vai colocá-lo, como indica o título, numa cruzada contra o cavaleiro das trevas preferido de todos. The Man of Steel 2 não tem uma data oficial revelada, mas pode ter o diretor de Mad Max – Estrada da Fúria, que foi um dos mais aclamados filmes de 2015.

George Miller: sucesso com Mad Max.

George Miller: sucesso com Mad Max.

A notícia deixa os fãs empolgados, por causa do espetáculo visual que é Mad Max e pensa que o diretor seria um ótimo nome para levar adiante as histórias solo do homem do amanhã, já que o diretor do primeiro The Man of Steel, Zack Snyder, está ocupado não somente com A Origem da Justiça, mas também com os vindouros Liga da Justiça Parte 1 e 2, que sairão em 2017 e 2018.

Liga da Justiça: quase chegou aos cinemas nas mãos de Miller.

Liga da Justiça: quase chegou aos cinemas nas mãos de Miller. Arte de Jim Lee.

O curioso é que esta nem é a primeira vez que George Miller se envolve com os heróis da DC Comics. Em 2008, o diretor ia comandar o filme Liga da Justiça – Mortal, obra que reuniria pela primeira vez nos cinemas a superequipe formada por Superman, Batman, Mulher-Maravilha, Lanterna Verde e Flash. O filme estava em pré-produção, com atores escalados, roteiro e figurino prontos e prestes a iniciar as filmagens – que ocorreriam na Austrália natal de Miller – mas por motivos não totalmente esclarecidos, a produção foi inteiramente cancelada.

Supõe-se que problemas com ajustes fiscais na Austrália (que teria mudado sua política de incentivos justamente antes do início das gravações), a greve de roteiristas de Hollywood e o sucesso esmagador de Batman – O Cavaleiro das Trevas (primeiro filme de super-heróis a bater a marca de US$ 1 Bilhão nas bilheterias) motivaram a Warner a descontinuar o projeto. Neste último caso, Batman estaria em Mortal, mas vivido por outro ator: Armie Hammer (de J. Edgar, O Cavaleiro Solitário e Os Agentes da UNCLE) faria o homem-morcego, enquanto paralelamente, Christian Bale fazia o mesmo personagem na Trilogia Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan.

O roteiro de Mortal já vazou na internet e algumas artes conceituais, e tudo sugere que o filme poderia ser muito bom. Seria, agora, uma oportunidade de George Miller poder desenvolver sua visão do Superman e entregar uma obra melhor do que O Homem de Aço? Quem sabe?

Superman – O Homem de Aço 2 não tem uma data de lançamento, mas é um projeto “carta na manga” da Warner Bros., que pode chegar aos cinemas após os filmes da Liga da Justiça, ou seja, em 2019 ou 2020.

Superman foi criado por Jerry Siegel e Joe Shuster em 1938, estreando na revista Action Comics 01, e desde então é publicado pela DC Comics.

The Who: Banda lançará versão orquestrada da ópera rock Tommy

O The Who em 1970.

O The Who em 1970.

A banda britânica The Who irá lançar em breve uma versão orquestrada de sua obra mais famosa: a ópera rock Tommy, originalmente lançada como um álbum duplo em 1969. A nova versão é fruto de uma apresentação da banda em conjunto com a London Symphony Orchestra no Rainbow Theater, em Londres, em 1972.

Embora tenha sido um dos símbolos de sua geração, representante icônico da Invasão Britânica e a primeira banda de rock a destruir seus instrumentos no palco, o sucesso explosivo do The Who com seu terceiro single, My generation, de 1965, não se manteve pelos anos seguintes, de modo que o grupo corria o sério risco de entrar para história como uma banda de momento ou pior: um one hit wonder! E para tornar tudo mais terrível, nem mesmo My generation conseguiu penetrar no mais resistente mercado dos EUA, de modo que, mesmo que fossem uma banda conhecida na Grã-Bretanha, em meados dos anos 1960, eram semidesconhecidos para o restante do mundo, ou pelo menos, uma mera curiosidade.

A capa do álbum Tommy, de 1969.

A capa do álbum Tommy, de 1969.

Tudo isso mudou em 1969 com o lançamento de Tommy. O álbum foi um sucesso estrondoso no mundo todo, a banda firmou os dois pés na história do rock e até permitiu ao grande público olhar para trás e descobrir a riqueza do catálogo do grupo que, até ali, já tinha lançado outros quatro álbuns (My Generation,  A Quick One, Sell Out e Magic Bus, de 1965, 66, 67 e 68, respectivamente) e uma dezena de singles (dentre os quais, destaque para I can explain, Substitute, Happy Jack, I’m a boy, Pictures of Lilly e I can see for miles).

The Who ao vivo em 1969.

The Who ao vivo em 1969.

Tommy é uma ópera, ou seja, o disco inteiro narra uma história com começo, meio e fim, através das canções, embora repleta de passagens enigmáticas. A trama é típica da ousadia de seu criador: o compositor e guitarrista Pete Townshend, famoso por suas letras que quebram os padrões e falam sobre coisas que a maioria compositores não querem (ou não ousam) falar.

A história é a seguinte: como muitos de sua geração, o pequeno Tommy Walker vê seu pai partir para a guerra, mas sua mãe não fica sozinha e arranja um amante. Quando seu pai retorna do conflito, a mãe e o amante decidem matá-lo, mas o pequeno Tommy vê tudo! Como resultado, ele desenvolve um trauma no qual se torna incapaz de falar, ouvir e enxergar, ficando em estado catatônico. A medicina não consegue curá-lo, ao mesmo tempo em que o garoto é hostilizado por todos, inclusive, seu tio e seu primo chegam a molestá-lo (!!!!!), e sua mãe chega a levá-lo até em uma bruxa cigana.

Mesmo com sua condição, contudo, Tommy descobre o fliperama e, por mais improvável que seja, termina se tornando um hábil jogador e se torna campeão. Isso o transforma em uma celebridade e objeto de um culto. Um ousado médico, usando técnicas não-ortodoxas consegue curá-lo e o a cura é interpretada como milagre, o que só aumenta o culto a Tommy, que vira um tipo de messias. A família dele decide lucrar em cima disso e criam uma igreja e um campo de férias para explorar os fiéis, que se sentem traídos, e terminam se rebelando e matando todos!!!!!

Não fica claro, por causa da narrativa poética, se Tommy também é morto ou fica sozinho clamando por ajuda no final.

O sucesso de Tommy veio bem a tempo da banda ser um dos grandes destaques do Festival de Woodstock, naquele mesmo ano, e embarcar em uma longa turnê na qual apresentavam a ópera na íntegra. O clássico álbum ao vivo do grupo – Live at Leeds, de 1970 – foi gravado nesse período e sua versão estendida também traz a ópera completa.

O LP com a versão orquestrada dos anos 1970.

O LP com a versão orquestrada dos anos 1970.

A apresentação com a London Symphony Orchestra e a The Chamber Choir se deu em 09 de dezembro de 1972 e, além do próprio The Who, contou com participações de Steve Winwood (Traffic, Blind Faith), Richie Havens e Ringo Star (Beatles). A gravação foi produzida pelo famoso produtor dos anos 1960 Lou Adler.

E esta nem foi a única adaptação de Tommy a outro formato. A ópera rock ainda foi adaptado ao cinema em 1975, pelo diretor Ken Russell, como um musical protagonizado pelo vocalista Roger Daltrey e participações dos outros membros do The Who, além de participações de Eric Clapton, Elton John, Tina Turner, Ann Margaret e o ator Jack Nicholson. O The Who fez uma turnê de retorno em 1989 e, para celebrar os 20 anos da obra, também a apresentou na íntegra na excursão. Em 1995, Tommy virou um musical da Broadway e também já entrou em cartaz no riquíssimo circuito de teatros de Londres.

A versão orquestral de Tommy chegou a ser lançada em disco nos anos 1970, mas está à décadas fora de catálogo. A nova edição, remasterizada, será lançada em CD, vinil e para download em 11 de setembro próximo.

***

O The Who surgiu na periferia de Londres, formado pela união de Pete Townshend (guitarra), Roger Daltrey (vocais), John Entwistle (baixo) e Keith Moon (bateria). Após algumas tentativas frustradas, a banda alçou o sucesso em 1965, com canções como I can’t explain e My generation. O grupo foi um dos mais importantes dos anos 1960, atingindo seu melhor momento comercial em 1969, com a ópera-rock Tommy, tocando em seguida no Festival de Woodstock. Diminuindo a popularidade ao longo dos anos 1970, veio a morte do baterista Keith Moon, em 1978, por causa de uma overdose de medicamentos. O grupo lançou seu último álbum em 1982, encerrando as atividades oficialmente. Contudo, continuaram a se reunir ocasionalmente para shows e turnês. O baixista John Entwistle morreu de um ataque cardíaco ocasionado pelo uso de cocaína em 2002, mas a dupla remanescente Daltrey e Townshend lançou o álbum Endless Wire (o primeiro desde 1982!) em 2005. Permanecem fazendo shows constantemente.

Em 2014, o grupo iniciou uma turnê comemorativa de seus 50 anos e lançando uma coletânea chamada The Who Hit’s 50.

 

Wolverine 3: Hugh Jackman comenta a volta de Dentes de Sabre

Hugh Jackman viverá Wolverine pela última vez em 2017.

Hugh Jackman viverá Wolverine pela última vez em 2017.

Segundo o site Comics Book Movie, o astro Hugh Jackman vem dizendo coisas interessantes sobre o vindouro Wolverine 3, sequência de Wolverine – Imortal, filme que dá prosseguimento à saga do herói mutante mais famoso da Marvel Comics, membro dos X-Men e adaptado aos cinemas pela 20th Century Fox. Em uma entrevista a um programa da TV australiana (lar do ator), Jackman comentou sua iniciativa de perguntar no Twitter aos fãs o que eles queriam ver no novo filme do personagem.

Dentre os tópicos mais pedidos, Jackman comentou a volta de Victor Creed, o vilão Dentes de Sabre, e a raiva de Berserker, que é um estado mental em que Wolverine atinge durante as batalhas, na qual é tomado totalmente pela raiva e perde a racionalidade, se tornando ainda mais eficaz e mortal.

Liev Schrieber como Dentes de Sabre.

Liev Schrieber como Dentes de Sabre: de volta?

Curiosamente, no dia seguinte, Jackman mandou uma mensagem no Twitter para Liev Schreiber, o ator que interpretou Creed em X-Men Origens – Wolverine, de 2009, peguntando: “Vamos fazer isso! Está comigo?”, no que Schreiber respondeu: “Vou ter que fazer isso!”. Para deixar a mensagem ainda mais clara, Jackman colocou a legenda “wolfpag x dogpound”, numa referência aos dois personagens.

Parece que veremos mesmo o desenrolar da relação entre Logan e Creed em Wolverine 3. Apesar de Origens ser um filme muito ruim, a interpretação de Schreiber é a melhor coisa da obra.

Fantástica capa de Alan Davis para o segundo round de Wolverine contra Dentes de Sabre.

Fantástica capa de Alan Davis para o segundo round de Wolverine contra Dentes de Sabre.

Nos quadrinhos, Dentes de Sabre surgiu como um vilão do herói Punho de Ferro, em Iron Fist 14, de 1977, criado por Chris Claremont e John Byrne, dupla que pouco tempo depois se uniu na revista dos X-Men. Byrne era canadense (a mesma nacionalidade de Wolverine) e, por isso, desenvolveu bastante Logan dentro da revista da equipe mutante, porém, curiosamente, não envolveram os dois personagens em sua longa passagem pelo título. O que é mais impressionante é que Byrne e Claremont chegaram a criar uma origem para Wolverine envolvendo-o com Dentes de Sabre, mas nunca a publicaram. (Saiba mais sobre isso clicando aqui).

Apenas muitos anos depois, em meio à saga Massacre de Mutantes, Chris Claremont (com os desenhistas Rick Leonardi e Alan Davis) envolveu efetivamente Wolverine e Dentes de Sabre com oponentes, deixando claro que havia uma antiga relação entre os dois, mas sem deixar claro qual era, como pode ser visto em Uncanny X-Men 212 e 213, de 1986.

Capa de Wolverine 10: pistas do passado e da relação com Dentes de Sabre.

Capa de Wolverine 10: pistas do passado e da relação com Dentes de Sabre.

Desde então, Dentes de Sabre é apresentado como o arquivilão de Wolverine. Quando Logan ganhou sua revista solo, também escrita por Claremont, o roteirista criou uma história na qual o mutante relembra uma cena de um passado distante em que – antes de serem seres uniformizados – Dentes de Sabre matava a namorada de Logan no interior do Canadá, publicada em Wolverine 10, de 1989, com desenhos de John Buscema. Essa história dava pistas de que Dentes de Sabre era o pai de Wolverine ou tinha algum tipo de relação muito próxima.

Capa de Wolverine 41: Dentes de Sabre seria o pai de Logan? A ideia é desmentida.

Capa de Wolverine 41: Dentes de Sabre seria o pai de Logan? A ideia é desmentida.

Contudo, a natureza da relação entre ambos só começou mesmo a ser explorada após a saída de Claremont das revistas dos mutantes. Já nos anos 1990, o escritor Larry Hama assumiu a revista Wolverine e trabalhou a exaustão no passado de Logan: em Wolverine 41, de 1991, com desenhos de Marc Silvestri, Dentes de Sabre revela a Wolverine que é o pai dele, mas em seguida, Nick Fury lhe informa que um exame de sangue provava que os dois não tinham nenhum parentesco; em Wolverine 47 a 50, o arco The Schiva Scenario, da mesma dupla, explicava porque Dentes de Sabre pensava que era o pai dele: os dois foram vítimas do Programa Arma-X e sofreram implantes de memória falsa.

Ao mesmo tempo, X-Men 04 a 06, por John Byrne, Scott Lobdell e Jim Lee, mostrava que Wolverine e Dentes de Sabre tinham sido operativos de uma equipe internacional de agentes secretos e que a rivalidade de ambos advinha desse período. Essa história também revela o verdadeiro nome do vilão: Victor Creed.

Anos mais tarde, a minissérie Wolverine: Origens, escrita por Paul Jenkins e desenhada por Andy Kubert, publicada em seis números entre 2001 e 2002, estabeleceu a verdadeira origem de Logan, mostrando que ele nasceu em Alberta, no Canadá, no século XIX, com o nome de James Howlett e numa família rica da região, embora não fosse o filho de John Howlett, mas o bastardo de sua esposa Elizabeth com o capataz Thomas Logan. Este último era mutante e é de quem nosso herói herda suas habilidades. Na trama, Thomas tem um outro filho, chamado apenas de Cão, que tem habilidades parecidas com Wolverine e os dois se tornam inimigos.

Logan e Creed são irmãos no cinema.

Logan e Creed são irmãos no cinema.

Claro que muita gente presumiu que Cão fosse, na verdade, Dentes de Sabre, embora a história dê a entender que Cão não tivesse fator de cura, algo que o vilão possui. O fato é que o cinema se aproveitou da trama de Origens e o filme X-Men Origens – Wolverine adapta o início da minissérie em seus minutos iniciais, apenas substituindo Cão por Victor Creed, estabelecendo que Wolverine e Dentes de Sabre são irmãos.

Curiosamente, os dois não parecem se conhecer quando se encontram em X-Men – O Filme, que cronologicamente se passa após os eventos de Origens. Mas do mesmo modo que Logan perdeu sua memória, poderia ter ocorrido o mesmo com Creed. De qualquer modo, com a mudança da linha do tempo causada por X-Men – Dias de Um Futuro Esquecido, Wolverine 3 seria uma ótima oportunidade para reapresentar em que condições estão as relações de Logan com seu meio-irmão. Assim, Hugh Jackman encerraria sua passagem no personagem de um modo bem interessante.

Wolverine 3 será dirigido por James Mangold (o mesmo de Wolverine – Imortal) e chega aos cinemas em 03 de março de 2017. A história deve girar em torno da parceria entre Logan e o professor Charles Xavier.

Wolverine foi criado pelo roteirista Len Wein e o desenhista John Romita como coadjuvante de uma história do Hulk, em 1974. Um ano depois, foi incorporado (também por Wein) à novíssima formação dos X-Men, e desde então, é um dos principais membros da equipe. Nos anos 1980, começou a ter suas aventuras solo e mantém-se como um dos personagens mais populares da Marvel Comics. Atualmente, também é membros dos Vingadores.

 

Batman: Que histórias podemos ver nos próximos filmes?

Batman: que histórias veremos no cinema?

Batman: que histórias veremos no cinema?

Batman, o mais popular dos super-heróis da editora DC Comics, levado ao cinema pela Warner Bros., ganhará uma nova série de filmes em breve. O cavaleiro das trevas favorito de todo mundo volta aos cinemas em Batman vs Superman – A Origem da Justiça, que sai em 2016, mas já correm notícias de que o homem-morcego terá não apenas um novo filme solo em breve, mas toda uma nova trilogia, começando em 2017 ou 2018. Então, já fica de antemão a pergunta: que histórias eles vão adaptar? O HQRock traz um post especial com as histórias em quadrinhos que poderemos ver nas telonas em breve.

Embora nenhum de seus muitos filmes tenha adaptado uma história fielmente, os filmes anteriores já levaram alguns arcos famosos às telonas, sempre de modo diluído e fragmentado:

  • Batman – O Filme (Estranhas Aparições);
  • Batman Begins (Ano Um, O Longo Dia das Bruxas);
  • Batman – O Cavaleiro das Trevas (O Longo Dia das Bruxas, A Piada Mortal);
  • Batman – O Cavaleiro das Trevas Ressurge (A Queda do Morcego, Terra de Ninguém);
  • Batman vs Superman – A Origem da Justiça (O Cavaleiro das Trevas).

(Para saber mais sobre essas histórias clique aqui ou aqui)

E os próximos filmes? É muito provável que teremos menos histórias clássicas e mais foco em tramas contemporâneas. Vale lembrar que A Origem da Justiça irá definir um Batman veterano, que já patrulha Gotham City20 anos!!!!! Como o trailer também já dá a entender – e o diretor Zack Snyder disse em uma entrevista – “a história do Batman está toda lá”. Isso inclui Robin(s) e tudo mais. Então, podemos até supor que algumas “histórias clássicas” já ocorreram na cronologia definida pelo filme, como deve ser o caso de Morte em Família, na qual o Coringa mata o Robin Jason Todd, algo que é referendado pelo trailer do filme.

Então, partindo disso, aqui vai uma lista de histórias que poderemos ver em breve na nova trilogia de filmes do Batman.

O Capuz Vermelho em seu filme: velho aliado.

O Capuz Vermelho em seu filme: velho aliado.

CONTRA O CAPUZ VERMELHO

Escrita por Judd Winick e desenhada por Doug Manhke, publicada em Batman 635 a 641 e 645 a 650, de 2005 e 2006.

O Coringa matou Jason Todd, certo? Errado! Nesta aventura (já clássica) dos anos 2000, o submundo de Gotham City é abalado quando um novo criminoso chega para matar todo mundo e ficar com o poder para si: o Capuz Vermelho, uma identidade criminosa que já foi usada por outras pessoas no passado. E qual não é a surpresa do Batman ao confrontá-lo e descobrir que o jovem assassino é ninguém menos do que o próprio Jason Todd?

A ressuscitação do personagem nem é tópico da trama (que nem vale à pena desenvolver, já que está ligada à megassaga Crise Infinita), mas o efeito disso rende uma trama muito boa. Em meio ao fogo cruzado do Capuz Vermelho com o Máscara Negra (então, o principal gangster da cidade), o cavaleiro das trevas tem que prestar contas com seu passado e seus erros.

Tendo em vista o detalhe do Robin no trailer de A Origem da Justiça, a trama de Contra o Capuz Vermelho pode terminar rendendo um bom filme. Recomendamos assistir a versão em desenho animado em longametragem da história, que é uma das melhores animações já feitas com o Batman.

Batman versus o Garra.

Batman versus o Garra.

A CORTE DAS CORUJAS

Escrita por Scott Snyder e desenhada por Greg Capullo, publicada em Batman 01 a 12, de 2011 e 2012.

Que tal levar aos cinemas uma trama novinha em folha? A Warner pode se decidir por esta trama que inaugurou a empreitada Os Novos 52. Na trama, Batman descobre uma grande conspiração nos submundos de Gotham City, que envolvem uma organização secreta chamada A Corte das Corujas. Um cartel criminoso infiltrado em todos os lugares, que ninguém sabia da existência e que manipula a história da cidade desde o século XIX.

Para piorar, a organização faz uso do Garra, um agente de força ampliada e praticamente imbatível. E com um visual ótimo!

O que pode um homem sozinho contra uma força assim?

É um suspense com grandes batalhas e potencial cinematográfico. Também seria uma oportunidade dos filmes não se repetirem e investirem em abordagens novas, em vez de ter que usar de novo Coringa, Charada ou Pinguim.

Luva Negra: outra conspiração.

Luva Negra: outra conspiração.

A LUVA NEGRA

Escrita por Grant Morrison e desenhada por Tony Daniel em Batman 676 a 681, de 2008 e 2009.

Num estilo similar à Corte das Corujas (e publicada antes), o arco A Luva Negra (também chamado de Batman: R.I.P. ou Descanse em Paz) também traz uma organização secreta que age em Gotham e quer matar o Batman, liderada pelo enigmático Dr. Hurt. A trama desta é mais amalucada e envolve um plano sinistro para enlouquecer o Batman, o que leva o cavaleiro das trevas ao seu limite extremo.

Como subtrama, a saga envolve a presença de Damian Wayne, o filho de Bruce Wayne com Talia Head, a filha de Ra’s Al Ghul. Sob os cuidados do pai, o menino se transforma no novo Robin.

Não seria estranho ver um filme que mesclasse A Corte das Corujas com A Luva Negra bem ao estilo de Hollywood em uma grande trama de conspiração.

Jogos de Crime: trama de combate ao submundo.

Jogos de Crime: trama de combate ao submundo.

JOGOS DE GUERRA

Escrita por Andersen Gabrych e desenhada por Pete Woods em Detective Comics 797 a 800 e por Bill Willingham e Kisun Loft em Batman 631 a 634, de 2003 e 2004, dentre várias outras revistas.

Se o cinema estiver disposto a investir em um Batman mais violento e realista, combatendo o crime organizado de modo espetacular em Gotham City, esta poderia ser uma boa trama. Em Jogos de Guerra, uma das aliadas do Batman, a heroína adolescente Salteadora, termina sem querer espalhando um arquivo do computador do homem-morcego no qual há um plano de dominação do submundo do crime. E isso vai parar nas mãos do Máscara Negra, que termina pondo o plano em prática.

Agora, com um novo chefão do crime da cidade, Batman tem que usar toda a sua habilidade para conseguir refrear uma onda desordenada de criminalidade. E a morte de inocentes.

Novamente, seria a oportunidade de usar um vilão novo, em vez de voltar ao tradicional e uma trama bem pé no chão, caso Hollywood esteja interessada em um contraponto à fantasia da Liga da Justiça.

Silêncio: um vilão novo para o cinema.

Silêncio: um vilão novo para o cinema.

SILÊNCIO

Escrita por Jeph Loeb e desenhada por Jim Lee em Batman 608 a 619, de 2002 e 2003.

Nos quadrinhos, Silêncio é uma oportunidade de lançar um novo (e hábil) vilão, fazer mistério sobre sua identidade, desenvolver o relacionamento do Batman com a Mulher-Gato, apresentar vários vilões clássicos (destaque para Coringa, Crocodilo e Hera Venenosa) e ainda ter uma batalha rápida entre o homem-morcego e o Superman. Em termos estritos de história, Silêncio não é nem de longe bem resolvida como O Longo Dia das Bruxas, outra obra de Jeph Loeb, mas seria uma boa oportunidade de construir um filme baseado no plano mirabolante e genial de um vilão novo cuja identidade é secreta (bem, pelo menos para o grande público).

Não seria difícil, ainda, os roteiristas de Hollywood corrigirem ou mudarem alguns equívocos da história e, claro, seria necessário tirar o excesso de vilões e heróis convidados. Mas no fim, pode ser uma boa ideia. E se Warner pensar grande, Silêncio podia ser o primeiro capítulo de uma trilogia que teria Contra o Capuz Vermelho como segundo capítulo!

Arkham City: dos games para as telonas?

Arkham City: dos games para as telonas?

ASILO DE ARKHAM

Não, não estamos nos referindo à clássica história de 1989 escrita por Grant Morrison, mas sim, ao popularíssimo videogame Arkham Asilum ou Arkham City. Este jogo extremamente bem feito e popular deu vida nova ao mítico manicômio das histórias do Batman e seria uma grande aposta da Warner para um filme alucinado – em termos de ação – do homem-morcego.

Inclusive, não são poucos os rumores de que a trama do filme Esquadrão Suicida – que mostrará o Coringa na cadeia e, pelo que se diz, causando uma fuga em massa no final – serviria como ponte direta para o próximo filme solo do cavaleiro das trevas. Não é uma má ideia. Assim como na primeira parte da saga nos quadrinhos A Queda do Morcego (saiba mais aqui), uma trama que mostrasse uma fuga em massa do Asilo de Arkham seria uma oportunidade de ouro para (bem à moda da Hollywood pós-Marvel Studios) de apresentar uma série de vilões (clássicos) ao mesmo tempo e fazer o Batman cair no pau contra todos eles. Coringa (de Jared Leto) incluso!

Ou o filme poderia utilizar-se diretamente da trama da franquia do jogo: há uma rebelião interna no Arkham e os prisioneiros tomam o poder lá dentro, obrigando o Batman a entrar sozinho e ter que encarar todos lá dentro. Nada mau.

De fato, se fosse para apostar as fichas, diríamos que esta história é a mais provável de ir aos cinemas em 2018. Mas fique ligado nas outras porque ainda há outros dois filmes!

Uma história simples e eficaz.

Uma história simples e eficaz.

Bônus: Penitência

Escrita por Greg Rucka e desenhada por Steve Lieber e Rick Burchett em Detective Comics 773 a 775, de 2002.

Este aqui é um puro exercício nerd. Claro que Penitência jamais chegará aos cinemas: a trama é um apêndice da saga Bruce Wayne: Assassino/ Fugitivo, na qual um vilão misterioso arma uma armadilha para Bruce Wayne (e não para o Batman) forjando uma acusação de assassinato quase perfeita. (Saiba mais aqui). Quando a história termina vem Penitência, na qual o Batman ataca impiedosamente a organização secreta conhecida como Xeque-Mate apenas para conseguir falar com a personagem Sasha Bourdeaux. É uma daquelas histórias curtas e singelas (apenas três partes), mas que mostra porque o Batman é o melhor ou nas palavras de um certo homem de aço “o homem mais perigoso do mundo”.

Mas pensando bem, Hollywood podia adaptar essa história envolvendo o Xeque-Mate com o Esquadrão Suicida e Amanda Waller e com uma motivação um pouco diferente…

***

Claro, poderia haver dezenas de outras histórias nesta lista, mas estas histórias combinam qualidades de “melhores” com “mais populares” dos últimos anos e, realmente, parece haver um “clima” para adaptarem histórias mais recentes, em vez de voltar aos velhos clássicos do personagem.

E você, leitor, qual seria sua aposta na trama para o próximo filme do Batman? Responda nos comentários!

Batman foi criado pelo cartunista Bob Kane, estreando na revista Detective Comics 27, de 1939 e desde então é publicado pela DC Comics.

Capitão América 3: Descrição do trailer exibido na D23, convenção da Disney

Artes promocionais de Capitão América, Homem de Ferro e Ossos Cruzados.

Artes promocionais de Capitão América, Homem de Ferro e Ossos Cruzados.

Sábado ocorreu a D23, a exposição da Disney sobre seus projetos futuros. E, claro, um dos destaques foi o painel da Marvel, focado em seus próximos filmes. Foi exibido um trailer (o primeiro) de Capitão América – Guerra Civil, sequência de Capitão América 2 – O Soldado Invernal e fecho da trilogia das aventuras-solo do herói criado pela Marvel Comics, levado aos cinemas pelo Marvel Studios e Disney Company. O vídeo não vazou na internet e nem a Marvel tem intenções de mostrá-lo ao grande público, já que o primeiro trailer oficial só sairá em novembro. Mas os sites que estiveram no evento já descreveram o que viram por lá.

A cena de ação num país africano abre o vídeo.

A cena de ação num país africano abre o vídeo.

O HQRock montou a descrição baseada nos relatos do Hollywood Reporter, The Wrap, Comic Book Resources e o brasileiro Omelete:

  • O vídeo inicia com uma cena de ação dos Novos Vingadores do Capitão América, agindo no que parece ser um país africano. Talvez, seja Wakanda, o fictício lar do Pantera Negra.
  • Confirmando rumores, o Falcão utiliza o Asa Vermelha, que não é uma águia tal qual nos quadrinhos, mas um drone de reconhecimento. O drone identifica um caminhão carregado de explosivos.
  • A equipe (Capitão América, Falcão, Viúva Negra, Feiticeira Escarlate, Visão) entra em ação e luta contra agentes da HIDRA liderados por Ossos Cruzados.
  • Filmagem de luta entre o Capitão e Ossos Cruzados.

    Filmagem de luta entre o Capitão e Ossos Cruzados.

    O Capitão tem uma batalha contra o Ossos Cruzados: o vilão joga uma bomba magnética no escudo do herói, que precisa jogar sua defesa para longe e explodir. Há confronto mano a mano e o Capitão vence. No chão, Brock Rumlow diz: “Ele lembra de você, seu amigo, seu parceiro, seu Bucky”, numa referência a Bucky Barnes, o Soldado Invernal.

  • General Ross, Visão e Homem-Formiga também aparecem no vídeo.

    General Ross, Visão e Homem-Formiga também aparecem no vídeo.

    Há uma cena entre Steve Rogers e o General Thadeus Ross, que agora é Secretário de Defesa dos EUA. Ross diz: “O mundo tem uma dívida impagável com você. Alguns acham que você é um herói. Outros preferem a palavra ‘vigilante’. As pessoas estão com medo”. Cenas de outros filmes aparecem durante a conversa. O Capitão responde: “Nesse trabalho, procuramos salvar o maior número de pessoas possíveis. Isso não significa que todos estarão à salvo”.

  • Corta para o que parece ser a continuação da cena pós-créditos de Homem-Formiga, em que Capitão e Falcão encontram o Soldado Invernal feito prisoneiro em um galpão, preso pelo braço metálico. Rogers pergunta ao velho amigo: “Você lembra de mim, Bucky?”, e o ex-amigo diz: “O nome de minha mãe era Sarah. Você colocava jornais em seus sapatos”.
  • Vemos uma discussão entre Rogers e Tony Stark sobre ética e o Homem de Ferro diz: “Às vezes, eu quero bater nesses seus dentes perfeitos!”.

    A cena de Steve Rogers em um funeral.

    A cena de Steve Rogers em um funeral.

  • Há novas cenas de ação, mostrando a Feiticeira Escarlate e o Gavião Arqueiro, o Visão aparece de terno (!) e vemos um vislumbre rápido da cena do funeral já flagrada por papparazzis durante as filmagens.
  • O Pantera Negra também aparece, tanto em roupas civis, quanto com seu uniforme, no qual aparece mostrando suas garras afiadas.
  • O Pantera Negra em arte conceitual do Marvel Studios.

    O Pantera Negra em arte conceitual do Marvel Studios.

    Mais cenas de lutas, dessa vez entre os heróis. A Viúva Negra e o Gavião Arqueiro aparecem brigando e ela diz para ele: “Nós ainda somos amigos, certo?”, no que ele responde: “Isso depende do quão forte você bater em mim”.

  • O vídeo termina em um tom humorado, na cena em que o Homem-Formiga conhece o Capitão América e se comporta como um fã abobalhado. Os dois apertam as mãos e Scott Lang diz: “Estou segurando sua mão por tempo demais, né?”, e depois diz: “Eu sei que você conhece muita gente poderosa. Obrigado por me agradecer… quer dizer, por pensar em mim”, num trocadilho em inglês com “Thanks for thanking of me… Er… Thanks for thinking in me”.
Homem-Aranha não está no vídeo. Arte na internet de um suposto material do filme.

Homem-Aranha não está no vídeo. Arte na internet de um suposto material do filme.

O que mais chama atenção, claro, é a ausência do Homem-Aranha no vídeo. Mas por outro lado, é compreensível que a Marvel esteja guardando a aparição do personagem mais para próximo do lançamento. Eu diria que no trailer de novembro veremos o aracnídeo rapidamente em seu uniforme caseiro, mas a Marvel irá segurar o uniforme “profissional” do personagem o máximo que puder.

O site Omelete comenta que as cenas de ação são muito boas, com um tom realístico e a câmera sempre muito próxima da ação, mantendo o estilo de O Soldado Invernal. Outra observação interessante é que o vídeo passa a ideia de um filme mesmo do Capitão América, pois tudo é relacionado a ele. Isso diminui a preocupação de que Guerra Civil seja um filme dos Vingadores disfarçado.

Parece realmente um bom trailer. É esperar para que a Marvel o libere o quanto antes.

Homem de Ferro versus Capitão América. Arte de Steve McNiven.

Homem de Ferro versus Capitão América. Arte de Steve McNiven.

Na Disney D23, no sábado, o astro Chris Evans falou sobre o conflito do Capitão América com o Homem de Ferro. Na transcrição da conversa feita pelo site Comic Book Movie, o ator afirma que, sim, haverá luta, mas não é um MMA, e sim, mais no sentido de uma briga familiar, uma disputa entre irmãos.

Parte da batalha de Guerra Civil, por Millar e McNiven.

Parte da batalha de Guerra Civil, por Millar e McNiven.

Será uma disputa acirrada, pelo menos, já que circularam imagens do ator Robert Downey Jr. nos sets de filmagem com uma maquiagem que reproduzia hematomas no rosto e um olho roxo. E nos quadrinhos, no final de Guerra Civil, há uma grande batalha entre o Capitão América e o Homem de Ferro, com os dois se machucando muito e o primeiro quase chegando ao ponto de matar o ex-amigo.

Civil War foi publicada como um minissérie em sete partes, entre 2006 e 2007, com roteiro de Mark Millar e arte de Steve McNiven, sendo a história da Marvel mais importante daquela década, mudando o status quo dos personagens por anos.

No filme, uma tragédia fará o Governo dos EUA baixar uma lei que exige o controle dos superhumanos, abrindo um debate acirrado entre o Homem de Ferro (que defenderá a lei) e o Capitão América (que julgará que ela fere dos os direitos civis). O Homem-Aranha terá uma participação importante no filme como alguém que fica dividido entre as duas facções. Além de Tony Stark assumir um papel quase vilanesco, também teremos como vilões o Barão Zemo e Ossos Cruzados. Os personagens dos filmes do Capitão – Soldado Invernal, Falcão, Sharon Carter – e dos outros filmes da Marvel – Viúva Negra, Gavião Arqueiro, Feiticeira Escarlate, Visão, Máquina de Combate e o estreante Pantera Negra – participarão do filme e se dividirão entre as duas facções. Guerra Civil também servirá de “abre-alas” para Vingadores – Guerra Infinita Parte 1 e Parte 2, que estreiam em 2018 e 2019, respectivamente.

Captain America – Civil Wartem direção dos irmãos Joe Anthony Russo e roteiro de Christopher Markus e Stephen McFeelyO elenco tem Chris Evans (Steve Rogers/Capitão América), Robert Downey Jr.(Tony Stark/ Homem de Ferro), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/ Viúva Negra),  Sebastian Stan (Bucky Barnes/Soldado Invernal), Anthony Mackie (Sam Wilson/Falcão), Frank Grillo (Brock Rumlow/ Ossos Cruzados) Daniel Brühl (Barão Zemo), Emily VanCamp (Sharon Carter/ Agente 13), Jeremy Renner (Clint Barton/ Gavião Arqueiro), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff/ Feiticeira Escarlate), Paul Bettany (Visão), Paul Rudd (Scott Lang/ Homem-Formiga), Don Cheadle(Coronel Jim Rhodes/ Máquina de Combate), Chadwick Boseman (T’Challa/ Pantera Negra), Martin Freeman (papel não-revelado), com participação especial de Tom Holland (Peter Parker/ Homem-Aranha) e Hayley Atwell (Peggy Carter). O longametragem é o primeiro da Fase 3 do Universo Marvel nos Cinemas. As filmagens estão ocorrendo em Berlim, na Alemanha e a estreia será em 06 de maio de 2016.

O Capitão América foi criado por Jack Kirby e Joe Simon em 1941 e foi o maior sucesso dos anos iniciais da Marvel Comics. Após décadas sem ser publicado, foi resgatado para as histórias modernas em Avengers 04, de 1964, por Stan Lee e Jack Kirby, numa história dos Vingadores, grupo que passou a liderar a partir de então.

Pink Floyd: David Gilmour pode fazer shows no Brasil e Roger Waters está escrevendo biografia

David Gilmour: primeira vez no Brasil?

David Gilmour: primeira vez no Brasil?

Duas boas notícias para os fãs de Pink Floyd, a lendária banda britânica que é uma das mais importantes da história do rock, envolvendo seus dois principais ex-membros: David Gilmour pode fazer shows no Brasil e Roger Waters está escrevendo uma autobiografia, lançará novo disco e fará turnê.

Segundo o site David Gilmour Tour – que não é oficial, mas mantido por fãs – o guitarrista e vocalista do Pink Floyd pode fazer shows no Brasil este ano! Estão pré-agendadas três datas:

  • 12/12, Estádio do Palmeiras, São Paulo;
  • 14/12, Pedreira Paulo Leminsky, Curitiba;
  • 16/12, Arena do Grêmio, Porto Alegre.

Gilmour está lançando um novo álbum solo, chamado Rattle That Lock, e em breve embarcará numa turnê pela Europa, chegando aos EUA no ano que vem. Não seria inoportuno uma turnê pela América Latina no fim deste ano. Se os shows forem confirmados, será a primeira vez que o guitarrista tocará no Brasil.

O site diz que as datas estão em negociação e têm 50% de chances de ocorrerem.

Roger Waters: biografia, disco e turnê.

Roger Waters: biografia, disco e turnê.

Enquanto isso, seu ex-colega de banda, o baixista e compositor Roger Waters, anunciou que está escrevendo suas memórias em uma autobiografia. Waters foi o mentor intelectual do Pink Floyd, autor das letras das canções e o criador dos conceitos que geraram álbuns como Darkside of the Moon e The Wall. Com certeza, Waters tem muito o que contar em livro, inclusive, suas incursões políticas, pois é famoso por sua militância de esquerda.

Além disso, se sabe que o músico está trabalhando em um novo álbum solo, que deve chegar às lojas no ano que vem. Ele também garante que irá voltar à estrada em 2016. A última turnê dele se encerrou em 2013, mas o compositor voltou aos palcos no dia 24 de julho, se apresentando no Newport Folk Festival, com um set totalmente acústico, onde interpretou canções do Pink Floyd, de sua carreira solo, a inédita Crystal Clean e covers de Bob Dylan, Levon Helm e Buddy Guy.

Waters também está lançando o filme Roger Waters – The Wall, que documenta sua última turnê mundial, que será exibido em apenas alguns cinemas brasileiros no dia 29 de setembro.

***

O Pink Floyd surgiu em Londres, em 1965, e se tornou um dos maiores exponentes do Movimento Psicodélico com seu primeiro disco, em 1967. Era formado por Syd Barrett (vocais e guitarra), Roger Waters (baixo e vocais), Richard Wright (teclados e vocais) e Nick Mason (bateria), mas o primeiro foi substituído por David Gilmour em 1968. Depois, a banda se tornou uma das fundadoras do chamado rock progressivo e após anos na cena underground, alçou à categoria de uma das bandas mais populares do planeta pelo sucesso do disco Darkside of the Moon, de 1973. O grupo viveu várias crises nos anos 1980, que resultou na saída de Roger Waters, em 1985. O trio Gilmour, Wright e Mason se reuniu em seguida e prosseguiu a carreira de álbuns e shows e o Pink Floyd encerrou as atividades em 1996. Poucas reuniões ocorreram depois disso.

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

Junte-se a 142 outros seguidores