Vingadores – Guerra Infinita: Site diz que membro da equipe irá morrer no filme

Thanos é o maior vilão da Marvel.

Thanos é o maior vilão da Marvel.

Está um pouco cedo para afirmar, mas segundo o site 4Chan, um personagem importante irá morrer em Vingadores – Guerra Infinita, o terceiro filme da saga dos heróis da Marvel Comics,levados ao cinema pelo Marvel Studios e Disney Pictures. Quem será?

A notícia abaixo tem possíveis spoilers, por isso, só siga em frente se não se importar em saber sobre as tramas dos filmes.

Visão: morte nas mãos de Thanos?.

Visão: morte nas mãos de Thanos?.

De acordo com os rumores, um dos membros dos Vingadores irá morrer no filme. A resposta é até algo óbvia, pois tem paralelos nos quadrinhos originais: segundo o 4Chan seria o Visão que morreria, com o vilão Thanos lhe arrancando a Joia da Mente, que o sintozoide (um tipo avançadíssimo de ciborgue) traz na testa. Thanos precisará da gema para compor a Manopla do Infinito, que lhe dará poderes incríveis.

A morte tem paralelos nas HQs, embora de modo apenas aproximado. Nas histórias clássicas dos Vingadores, era o herói cósmico Adam Warlock quem trazia a Joia da Mente na testa e, de fato, Thanos arranca a gema, matando seu usuário, em Avengers Annual 07, de 1977, com texto e desenhos de Jim Starlin.

Dentro do Universo Marvel dos Cinemas, Warlock ainda não apareceu e a Joia da Mente está com o Visão. Ora, se Thanos vai montar a Manopla do Infinito, precisa arrancá-la da posse de seu usuário.

Thanos e a Manopla do Infinito nos quadrinhos.

Thanos e a Manopla do Infinito nos quadrinhos.

Nos filmes já apareceram: a Joia do Espaço (o Tesseract, que está em Capitão América – O Primeiro Vingador e Os Vingadores); a Joia da Realidade (o Éter, em Thor – O Mundo Sombrio), a Joia da Mente (que apareceu em Os Vingadores no Cetro de Loki, mas só foi revelada como tal artefato em Vingadores – Era de Ultron), a Joia do Poder (o Orbe em Guardiões da Galáxia) e, segundo o site, o Olho de Agamoto, em Dr. Estranho, será a Joia do Tempo.

Falta aparecer apenas a Joia da Alma.

Nos quadrinhos, a saga A Busca de Thanos mostra o titã louco atrás das seis gemas e conseguindo reuni-las, se tornando o ser mais poderoso do universo, nas mãos de Jim Starlin e Ron Lin. Os heróis da Marvel se unem para detê-lo em A Manopla do Infinito, minissérie que é a fonte direta do filme Guerra Infinita e foi criado por Starlin, Lin e George Perez. No longametragem, Thanos deve adquirir as Joias e será preciso a união dos Vingadores, dos Guardiões da Galáxia e do Dr. Estranho para combatê-lo.  Este último já foi confirmado.

Curiosamente, o filme seria dividido em duas partes, mas a Marvel confirmou que Guerra Infinita será um filme único e sua sequência terá outro nome e uma história própria. Qual será?

Não sei porque, de um tempo para cá, comecei a achar que o nome da sequência será Guerras Secretas. Seria possível?

***

Vingadores – Guerra Infinita mostrará o grupo de heróis unindo forças para deter o vilão intergalático Thanos,que está em busca daManopla do Infinito, artefato cósmico de poder incomensurável que reúne as seis Joias do Infinito, quatro das quais já apareceram em filmes anteriores do estúdio.

Avengers – Infinity War é escrito por Christopher Markus e Stephen McFeely e dirigido pelos irmãos Joe e Anthony Russo (reprisando a mesma equipe criativa de Capitão América – Guerra Civil). O elenco reunirá Robert Downey Jr. (Tony Stark/Homem de Ferro), Chris Evans (Steve Rogers/Capitão América), Chris Hemsworth (Thor), Mark Ruffalo (Bruce Banner/Hulk), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/Viúva Negra), Jeremy Renner (Clint Barton/Gavião Arqueiro), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff/Feiticeira Escarlate),Tom Holland (Peter Parker/ Homem-Aranha), Don Cheadle (James Rhodes/ Máquina de Combate), Paul Bettany (Visão), Josh Brolin (Thanos), Anthony Mackie (Sam Wilson/Falcão), Paul Rudd (Scott Lang/ Homem-Formiga), dentre outros. O filme será gravado no fim deste ano no complexo de estúdios de Atlanta, nos EUA e o  lançamento será em 04 de maio de 2018 e sua sequência em 03 de maio de 2019.

Os Vingadores surgiram em 1963, criados por Stan Lee e Jack Kirby, publicados em The Avengers 01, reunindo personagens já criados previamente. Mais importante supergrupo da Marvel Comics, fazer parte da equipe significa ter um status diferenciado de importância no Universo da editora.

 

Dr. Estranho: Benedict Cumberbatch confirma que estará também em Vingadores – Guerra Infinita

A capa da Empire, com o Dr. Estranho.

A capa da Empire, com o Dr. Estranho.

Começa a se aproximar a estreia de Dr. Estranho, filme sobre o mago supremo do universo nas histórias em quadrinhos da Marvel Comics que será lançado  em breve, dentro do mesmo universo fictício dos Vingadores, por meio do Marvel Studios e Disney Company. Pegando o embalo, a revista Empire está divulgando sua edição com a capa dedicada ao filme. E uma das primeiras novidades que a revista publica é uma confirmação do ator Benedict Cumberbatch de que seu personagem estará de volta em Vingadores – Guerra Infinita.

Segundo o site Comic Book Movie, a Empire afirma:

O desafio logístico é aliar sua [de Cumberbatch] agenda com as de Robert Downey Jr., Chris Hemsworth, Elizabeth Olsen e Paul Bettany.

E o ator complementa:

Ter todos nós juntos é uma coisa incrível. Este é o porque de meu personagem ser introduzido: para abrir o próximo capítulo. Então, fique atento a isso para ver o que ele revela.

Não é exatamente uma surpresa o Dr. Estranho estar em Guerra Infinita, mas uma confirmação é sensacional.

A capa variante mostra Barão Mordo, Dr. Estranho, A Anciã e Wong.

A capa variante mostra Barão Mordo, Dr. Estranho, A Anciã e Wong.

Vingadores – Guerra Infinita estreia em em 04 de maio de 2018.

Dr. Strange é dirigido por Scott Derrickson (de A Entidade e O Exorcismo de Emily Rose) e tem história de Jon Spaihts (de Prometheus) e roteiro de  C. Robert Cargill.  O elenco tem Benedict Comberbatch (Dr. Stephen Strange), Tilda Swinton (A Anciã), Chiwetel Ejiofor (Barão Mordo), Rachel McAdams (Christine Palmer), Mads Mikkelsen (Kaecillus), Michael Stuhlbarg (Dr. Nicodemus West), Benedict Wong (Wong). O lançamento será em 04 de novembro de 2016, dentro da Fase 3 do Marvel Studios.

O Dr. Estranho foi criado por Stan Lee e Steve Ditko (a mesma dupla do Homem-Aranha) em 1963 na revista Strange Tales 110. Sucesso nos anos 1960 em meio aos hippies, por causa de suas histórias psicodélicas, teve histórias memoráveis por escritores como Roy Thomas e Steve Englehart, mas perdeu popularidade com o passar do tempo, embora tenha sido o líder do grupo Os Defensores, criado em 1971. Desde 2007, é membro regular dos Vingadores.

 

Marvel Comics: Vingadores: Motim dá prosseguimento ao sucesso dos livros de heróis no Brasil

Motim: o novo livro da Novo Século com histórias da Marvel.

Motim: o novo livro da Novo Século com histórias da Marvel.

Está chegando às livrarias brasileiras em outubro o livro Novos Vingadores: Motim, mais uma empreitada da editora Novo Século, investindo em adaptações literárias dos heróis da Marvel Comics. O romance é de autoria de Alisa Kwitney, que adapta uma história original de Brian Michael Bendis.

A sinopse do livro é a seguinte (segundo o site Omelete):

Gavião Arqueiro recebe ordens para levar a Viúva Negra para a Balsa. Ao chegarem ao presídio, os dois se deparam com uma espetacular fuga em massa e ficam confinados ao lado de Jessica DrewLuke Cage. É neste cenário que o Capitão América e o Homem de Ferro têm a missão de reaproximar os principais super-heróis e decidir quem serão os integrantes dos Novos Vingadores.

O livro é uma adaptação de Novos Vingadores: Motim, uma história em quadrinhos escrita por Brian Michael Bendis e desenhada por David Finch que deu origem à empreitada dos Novos Vingadores, a radical renovação da equipe de heróis nas mãos de Bendis. Na trama original, após a equipe original ser desfeita, Capitão América e Homem de Ferro decidem recriar o time quando há uma fuga em massa de 87 prisioneiros super-poderosos da prisão conhecida como Balsa. Para isso, a dupla decide recrutar heróis que comumente não estavam associados ao velho time, como Luke Cage, Homem-Aranha e Wolverine (aparentemente, este último não está no livro). Foi o início de uma fase de muito sucesso para os Vingadores, que nas mãos de Bendis viraram a principal franquia da Marvel pela primeira vez em décadas.

Sua diferença em relação aos velhos Vingadores é a abordagem mais humana de Bendis, em tramas menos espaciais (que dominavam a franquia dos heróis no passado) e mais pautadas nos dilemas do cotidiano, com a busca dos fugitivos e questões políticas, como a mudança no comando da SHIELD. Outra marca de Bendis era a capacidade de escrever diálogos elaborados que podiam substituir a ação em muitos momentos.

A versão em livro será o 11º lançamento da Nova Século dentro de sua coleção de livros da Marvel. Um deles, Guerra Civil, de Stuart Moore (que por sua vez adapta a história de Mark Millar e Steve Mcniven, publicada originalmente em 2006 e também adaptada ao cinemas este ano, como Capitão América – Guerra Civil), vendeu impressionantes 27 mil exemplares, sendo um dos 15 livros de ficção mais vendidos do Brasil no site na Amazon no ano de 2015. No primeiro semestre de 2016, o livro chegou a ocupar a quinta posição entre os mais vendidos!

Além desses, a série tem volumes como A Morte do Capitão América, Homem de Ferro: Vírus, Homem-Aranha: Entre Trovões, Vingadores: Todos Querem Dominar o Mundo e Super-Heróis Marvel: Guerras Secretas.

Os Vingadores surgiram em 1963, criados por Stan Lee e Jack Kirby, publicados em The Avengers 01, reunindo personagens já criados previamente. Mais importante supergrupo da Marvel Comics, fazer parte da equipe significa ter um status diferenciado de importância no Universo da editora.

 

David Bowie: Biógrafa afirma que artista cometeu suicídio assistido

David Bowie: suicídio assistido?

David Bowie: suicídio assistido?

Em entrevista concedida ao jornal Daily Mail e à Rádio BBC (via site Omelete), a biógrafa Lesley-Ann Jones afirmou que o músico e compositor David Bowie, um dos mais importantes e influentes do século XX, teria optado por morte por suicídio assistido, no início deste ano. Bowie faleceu em 10 de janeiro em decorrência de um câncer de fígado intratável.

Jones disse:

Conversei com várias pessoas que sugeriram que a morte dele foi resultado de suicídio assistido. Tenho certeza de que ele não envolveu familiares e amigos para que eles ficassem protegidos.

A notícia é confirmada, em certo sentido, por Andy Peebles, ex-apresentador da BBC:

[Bowie] construiu sua despedida. Foram duas músicas divulgadas em poucos dias [Blackstar e Lazarus] e logo depois um de seus trabalhos mais importantes no dia do aniversário dele [o álbum Blackstar]. Aí dois dias depois ele morre. Eu não consigo ver tudo isso como coincidência. Quando você pensa a respeito, Bowie gerenciou todo o resto em toda a sua carreira, por que a morte dele seria de uma forma diferente? Ele podia fazer isso do jeito que queria, melhor pra ele.

Realmente, Bowie tem uma carreira marcada pela performance, na qual o artista dirigia sua obra, seu visual, suas atitudes, direcionadas por um senso estético fortíssimo e calculado. Ele foi um Mod em meados dos anos 1960; adotou a psicodelia espacial no fim dos anos 1960; se emoldurou do glam rock andrógino no início dos anos 1970; criou a persona Ziggy Stardust em 1972 (um astro do rock alienígena!); virou o White Duck (um cantor de soul); em meados dos anos 1970; vivenciou uma personalidade sombria e reclusa no fim da década; adotou uma persona mais alegre e dançante no início dos anos 1980; e nos últimos anos vinha flertando com as novas tecnologias e suas possibilidades. Para cada um desses momentos, Bowie construiu figurinos e estabeleceu comportamentos típicos, sempre embalados em uma música maravilhosa e um senso estético muito lógico e bem construído.

O performático David Bowie em ação encarnando Ziggy Stardust.

O performático David Bowie em ação encarnando Ziggy Stardust.

Teria sido a morte a última performance de David Bowie?

Nascido David Robert Jones em Londres, Inglaterra, em 1947, o cantor assumiu a alcunha David Bowie para se diferenciar do cantor americano Davy Jones dos The Menkees, e demorou a fazer sucesso, tentando a vida de músico entre 1962 e 1967 sem conseguir emplacar sucessos, porém, após uma pausa, voltou em 1969 e fez sucesso com a canção Space Oddity.Apesar de alguns discos não bem sucedidos – David Bowie (1969) e The Man Who Sold the World (1970), o músico voltou às paradas de sucesso com Hunky Dory (1971) e estourou totalmente com The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders form Mars (1972), tornando-se um dos compositores mais influentes dos anos 1970, marcado pela criação de personagens que se refletem em sua personalidade, vestuário e estilo musical.

Ao longo de mais de quatro décadas, legou ao mundo sucessos incontáveis e uma obra memorável que passa por diversos momentos de mutação e experimentação, em discos como Alladin Sane (1973), Young Americans (1975), Heroes (1977), Let’s Dance (1983), Outside(1995) e Reallity (2003), Nothing Has Changed (2014), e o recém-lançado Blackstar, que foi aclamado pela crítica e foi seu 25º álbum. O músico se aposentou dos palcos em 2006, após uma séria doença cardíaca, a qual já lhe obrigara a uma cirurgia dois anos antes.

Nos primeiros dias de 2016, Bowie lançou as canções Lazarus e Blackstar, e o álbum Blackstar foi lançado no dia de seu aniversário de 69 anos. Dois dias depois, em 10 de janeiro, o músico veio a falecer. A doença era segredo até sua morte. Bowie vivia uma vida reclusa e, desde 1993, trocou Londres por Nova York, onde morreu.

Atualmente, está em cartaz um musical baseado na obra do cantor, chamado Lazarus e estrelado por Michael C. Hall (de Dexter) e em cartaz nos palcos de Nova York e Londres.

AC/DC: Baixista Cliff Williams anuncia saída da banda

Cliff Williams também deixa o AC/DC.

Cliff Williams também deixa o AC/DC.

Em comunicado na página oficial da banda no Facebook, o baixista Cliff Williams anunciou sua saída do AC/DC., lendária banda hard rock originária da Austrália. É mais um golpe na história recente do grupo, que vem se desmanchando nos últimos anos: primeiro, o guitarrista e cofundador do grupo, Malcolm Young deixou a banda por causa de uma doença degenerativa, em 2014; depois, o baterista Phil Rudd (no grupo entre 1975 e 1983; e 1994 até então) teve problemas com a justiça e foi afastado, em 2015; em seguida, o vocalista Brian Johnson (na banda desde 1980) foi obrigado a se afastar dos palcos sob o risco de surdez iminente.

No comunicado, Cliff Williams diz que não está saindo por causa das mudanças recentes da formação, mas porque sente que é o momento de se afastar das turnês e que precisa se dedicar à família. Williams é britânico, nascido em Essex, tem 60 anos e toca com o AC/DC desde 1977. Antes de entrar para o grupo, ele fez parte das bandas Home, de rock progressivo, que lançou dois álbuns e teve a canção Dreamer na posição 41 do ranking da Inglaterra, abrindo shows de Led Zeppelin, The Faces, Jeff Beck e Al Stewart, entre 1970 e 1974; e Bandit, que lançou um único disco em 1977 e foi também a banda de apoio de Alexis Korner.

AC/DC (Johnson, Williams, Angus, Rudd e Malcolm): banda se desfazendo.

AC/DC (Johnson, Williams, Angus, Rudd e Malcolm): banda se desfazendo.

Não houve um comunicado oficial do AC/DC ainda, que vinha se apresentando nos últimos meses tendo Axl Rose (dos Guns & Roses) como vocalista. Contudo, agora, resta apenas o guitarrista Angus Young entre os membros proeminentes da banda. Em vista de tal situação, é possível que o músico termine por anunciar o fim da banda. 

Embora escoceses, os irmãos guitarristas Malcolm e Angus Young cresceram na Austrália e lá formaram o AC/DC em 1973. A banda ganhou impulso com a entrada do vocalista Bon Scott no ano seguinte, com a banda lançando seu primeiro álbum em 1975 e fazendo sucesso imediato na Austrália. Após algumas turnês pela Europa, o AC/DC ganhou projeção internacional com os álbuns High Voltage, de 1976, e Let There Be Rock, de 1977; virando uma das principais bandas do cenário do rock pesado com o lançamento do álbum Highway to Hell, em 1979, o último gravado com o Bon Scott, que morreu vítima de excesso de álcool no ano seguinte, em Londres. Brian Johnson foi seu substituto, estreando com sucesso em Back to Black, em 1980, e permaneceu na banda até recentemente.

De grande influência para o heavy metal e popularidade entre o público roqueiro juvenil, o AC/DC ganhou uma nova leva de fãs nos últimos anos, com suas canções servindo como trilha sonora para os filmes do Homem de Ferro da Marvel Comics.

Vingadores – Guerra Infinita: Site diz que Morte estará no filme

Thanos em Guardiões da Galáxia.

Thanos em Guardiões da Galáxia.

Esta era uma questão que já vinha rondando a mente dos fãs de quadrinhos, mas agora, o site Latino Review afirma ter a resposta: teremos sim a Morte em pessoa ao lado do vilão Thanos em Vingadores – Guerra Infinita, o terceiro filme da saga dos heróis da Marvel Comics, levados ao cinema pelo Marvel Studios e Disney Pictures.

Nas HQs, Thanos é obcecado pela Morte, que é uma entidade feminina viva no Universo Marvel. E ela parece corresponder ao afeto. É para ela que Thanos empreende seus grandes planos: em Guerra Infinita, ele busca se apossar das Seis Joias do Infinito para matar metade do universo e, assim, prover a Morte de tantas almas que se torne digno de cortejá-la.

Thanos e a Morte nas HQs. Arte de Jim Starlin.

Thanos e a Morte nas HQs. Arte de Jim Starlin.

Sempre correu o senso de que em Guerra Infinita, o filme, essa relação seria menos literal e mais metafórica: Thanos teria um tipo de culto à morte e por isso faria o plano. Mas o Latino Review diz que a entidade estará presente no filme. Como isso será feito não se sabe, pois é um passo fundo no sobrenatural e rompe com a ideia mais ou menos “pé no chão” do Universo Marvel nos cinemas. Mas quem sabe?

O site também supôs uma outra ideia: a Morte com a qual Thanos irá se envolver poderia ser Hela, a deusa da morte na mitologia nórdica e que será a vilã principal de Thor – Ragnarok, que chega aos cinemas no ano que vem. Será?

***

Vingadores – Guerra Infinita mostrará o grupo de heróis unindo forças para deter o vilão intergalático Thanos,que está em busca daManopla do Infinito, artefato cósmico de poder incomensurável que reúne as seis Joias do Infinito, quatro das quais já apareceram em filmes anteriores do estúdio.

Avengers – Infinity War é escrito por Christopher Markus e Stephen McFeely e dirigido pelos irmãos Joe e Anthony Russo (reprisando a mesma equipe criativa de Capitão América – Guerra Civil). O elenco reunirá Robert Downey Jr. (Tony Stark/Homem de Ferro), Chris Evans (Steve Rogers/Capitão América), Chris Hemsworth (Thor), Mark Ruffalo (Bruce Banner/Hulk), Scarlett Johansson (Natasha Romanoff/Viúva Negra), Jeremy Renner (Clint Barton/Gavião Arqueiro), Elizabeth Olsen (Wanda Maximoff/Feiticeira Escarlate),Tom Holland (Peter Parker/ Homem-Aranha), Don Cheadle (James Rhodes/ Máquina de Combate), Paul Bettany (Visão), Josh Brolin (Thanos), Anthony Mackie (Sam Wilson/Falcão), Paul Rudd (Scott Lang/ Homem-Formiga), dentre outros. O filme será gravado no fim deste ano no complexo de estúdios de Atlanta, nos EUA e o  lançamento será em 04 de maio de 2018 e sua sequência em 03 de maio de 2019.

Os Vingadores surgiram em 1963, criados por Stan Lee e Jack Kirby, publicados em The Avengers 01, reunindo personagens já criados previamente. Mais importante supergrupo da Marvel Comics, fazer parte da equipe significa ter um status diferenciado de importância no Universo da editora.

Led Zeppelin: Chega as lojas nova versão das BBC Sessions

O Led Zeppelin em 1969: Bonham, Plant, Page e Jones.

O Led Zeppelin em 1969: Bonham, Plant, Page e Jones.

Chegou às lojas The Complete BBC Sessions, novo álbum da banda britânica Led Zeppelin, trazendo sessões gravadas exclusivamente para a rádio BBC, entre 1969 e 1971. O disco é uma nova versão (estendida) daquela lançada há quase 20 anos atrás, ganhando agora algumas novidades a mais e vem um ano após a banda relançar todo o seu catálogo em novas versões remasterizadas e cheias de bônus.

Assim como muitos lançamentos recentes, há muito pouco de novidade em The Complete BBC Sessions em relação ao disco de 1997: o terceiro CD traz versões de canções já presentes nos outros dois discos e uma única novidade “real”: Sunshine woman, uma canção que o Led Zeppelin jamais lançou e, na verdade, praticamente jamais tocou de novo após sua gravação ao vivo nos estúdios da rádio BBC. Consiste, na verdade, em uma série de improvisos e laboratório de futuras canções que o grupo vinha testando em seus concertos recentes.

Para situar os desavisados, nos anos 1960, a rádio estatal BBC destinava apenas 20% de sua programação à música comercial. Assim, uma saída encontrada por programadores, artistas e empresários para veicular suas canções na rádio oficial era fazer registros do material nos próprios estúdios da BBC, que executava, portanto, em sua programação, estas versões e não aquelas oficiais lançadas nos discos. Os estúdios da rádio não eram tão modernos quanto aqueles em que os grupos de rock gravavam suas obras – como Abbey Road, Olympic, Trident etc. – porém, isto era compensado pela espontaneidade de execuções quase ao vivo e um controle e “vigilância” bem menor.

O novo BBC Sessions.

O novo BBC Sessions.

Versões piratas das gravações na BBC circulam no mercado desde sempre, mas na década de 1990 começaram a se oficializar. Os Beatles foram pioneiros ao lançarem Live at BBC em 1994, o que seguiu a uma série de lançamentos na mesma linha, envolvendo muitos artistas dos anos 1960, como The Jimi Hendrix Experience, The Who, The Yardbirds e, claro, o Led Zeppelin, que o fez 1997. O produto da banda liderada por Jimmy Page, inclusive, é um dos mais sensacionais da série, dando espaço à performance explosiva do grupo sem as amarras dos estúdios formais.

Na BBC, o grupo toca como o fazia ao vivo, mas com um registro de áudio melhor e sem a interferência ruidosa de uma plateia.

Para o público geral, The Complete BBC Sessions é apenas “mais do mesmo”, com novas versões de velhas músicas. Para aqueles que acompanham a banda um pouco mais de perto, também pode ser uma repetição, mas uma curiosidade. Aos fãs mais fervorosos, a versão de 1997 foi a oportunidade de ver a banda executar alguns de seus maiores clássicos de modo espontâneo, explosivo e enérgico, além de algumas novidades (as inéditas: Girl, I love shes got a long black wave hair e Travelling riverside blues) e agora surge um pouco mais do mesmo e Sunshine woman. Mas com todas as qualidades já mencionadas!

É uma troca. O mercado de discos físicos tenta sobreviver à mudança dos tempos – em que se consome a música por meios não-físicos (e às vezes não-pagos) – enquanto os fãs têm a oportunidade de ter em mãos um produto de grande qualidade de áudio, com material gráfico de primeira, trazendo novidades de artistas que gosta muito. É uma troca que às vezes compensa.

O Led Zeppelin foi fundado pelo guitarrista Jimmy Page em 1968 a partir das cinzas de outra banda, The Yardbirds. A reunião de Page com Robert Plant (vocais), John Paul Jones (baixo) e o baterista John Bonham resultou em uma das mais explosivas combinações de instrumentistas da história da música. A banda encontrou o sucesso desde o início, com seus dois primeiros álbuns Led Zeppelin I e Led Zeppelin II, lançados em 1969. O grupo foi um dos maiores sucessos do rock ao longo dos anos 1970 e encerrou as atividades em 1980, após a morte de Bonham por excesso de álcool. Depois, os três membros remanescentes (e por vezes apenas Plant e Page) encenaram apenas reuniões breves. Nas últimas ocasiões, o papel de baterista foi ocupado por Jason Bonham, filho do integrante original.

Batman: Mais fontes dizem que filme solo do herói será situado no Asilo de Arkham

Batman e seu novo uniforme tático nas filmagens de Liga da Justiça.

Batman e seu novo uniforme tático nas filmagens de Liga da Justiça.

O rumor já vem se desenvolvendo há algum tempo (veja mais aqui), mas agora, outra fonte garante: o novo filme solo do Batman, o mais popular dos personagens da editora DC Comics, levado aos cinemas pela Warner Bros. Segundo o jornalista Humberto Gonzales, colaborador dos sites Heroic Hollywood e The Wrap, o filme do cavaleiro das trevas será ambientado no Asilo de Arkham, inspirado na famosa série de videogames Arkham Asylum e Arkham City.

O HQRock já supôs isso há muito tempo atrás (veja aqui) e seria mesmo uma ótima história, para situar logo de vez não um, mas vários dos vilões que compõem a grande galeria do personagem.

Arkham City: dos games para as telonas?

Arkham City: dos games para as telonas?

Também é interessante pensar como o Exterminador – aparentemente, o principal oponente do herói no próximo filme – irá se encaixar nessa premissa.

Anteriormente, Ben Affleck garantiu que irá se inspirar em várias grandes histórias do Batman para o filme, mas este será uma história original.

***

Ben Affleck estreou como o homem-morcego em Batman vs. Superman – A Origem da Justiça, que estreou este ano; teve uma participação especial em Esquadrão Suicida, que estreou em 05 de agosto último; e voltará em Liga da Justiça, em 2017.

O filme é chamado informalmente até agora de The Batman, terá roteiro de Geoff Johns e Ben Affleck; será dirigido por Affleck; e o elenco terá: Ben Affleck (Bruce Wayne/ Batman), Jeremy Irons (Alfred Pennyworth), J.K. Simmons (Comissário Jim Gordon) e John Manganiello (Slade Wilson/ Exterminador), e provavelmente terá participação de Jared Leto (Coringa). A Warner/DC Comics anunciou dois novos filmes misteriosos: um com estreia em 05 de outubro de 2018 e outro para 01 de novembro de 2019. O próximo filme solo do Batman deve ocupar uma dessas datas e eu apostaria na primeira.

Batman foi criado pelo cartunista Bob Kane e o roteirista Bill Finger, estreando na revista Detective Comics 27, de 1939 e desde então é publicado pela DC Comics.

Superman 2: Empresária de Henry Cavill confirma que sequência de O Homem de Aço está em produção

Henry Cavill como Superman: novo filme a caminho.

Henry Cavill como Superman: novo filme a caminho.

Já faz algumas semanas que o boato começou a correr (veja aqui), mas agora temos uma confirmação. Segundo o site Batman-News, a empresária do ator Henry Cavill confirmou que está mesmo em produção Superman – O Homem de Aço 2, sequência das aventuras do mais icônico dos super-heróis, criado pela editora DC Comics e levado ao cinema pela Warner Bros., que já ganhou também o filme Batman vs. Superman – A Origem da Justiça, que estreou este ano.

Segundo o site, Dany Garcia é ex-empresária (esposa) de Dwayne “The Rock” Johnson e trabalha com Henry Cavill desde abril último. Cavill, Garcia e a produtora daquele, Promethean, estão envolvidos com vários projetos. Numa entrevista à Newsweek, Garcia diz:

Henry é muito empenhado. Estivemos em um período de cinco meses onde criamos uma nova estratégia, adquirimos propriedades [para a Promethean]… Ele está filmando [Liga da Justiça] agora e está desenvolvendo o [filme] solo do Superman, está começando a expandir aquele mundo. É uma bonita preparação. Daqui há um ano ou dois, ele será uma força global.

Os rumores antigos falam que O Homem de Aço 2 irá tentar “acertar o tom” do Superman, realizando uma abordagem mais positiva e esperançosa do último filho de Krypton, tal qual ele é nos quadrinhos, em oposição à representação, sombria, raivosa e cheia de dúvidas que os novos filmes da DC apresentaram até aqui. O HQRock já comentou nas resenhas de O Homem de Aço e de Batman vs. Superman – A Origem da Justiça, que Cavill é um ótimo ator, bastante sanguíneo, mas não teve o material apropriado para explorar o personagem. Veremos se consegue na nova abordagem.

De qualquer modo, algo desse  Superman mais luminar deve aparecer em Liga da Justiça, que está sendo filmado e estreará em 2017. Por trás da mudança de tom do homem de aço, deve estar a mão de Geoff Johns, que é o novo diretor da DC Films, empresa cinematográfica responsável pelos personagens dos quadrinhos, e é um notório escritor do Superman, tendo escrito algumas das mais notáveis histórias do personagem na última década, como O Último Filho, Origem Secreta, Brainiac, Novo Krypton e a Guerra dos Supermen, bem como da recente fase em que o herói foi desenhado por John Romita Jr.

Também há rumores na internet de que O Homem de Aço 2 seria filmado por J.J. Abrams, de Star Trek e Star Wars – O Despertar da Força. O curioso é que Abrams já desenvolveu um filme do Superman no passado: após o fracasso do projeto de filme do personagem liderado por Tim Burton, em meados dos anos 1990; a Warner contratou o cineasta, que escreveu o roteiro de Superman – Fly By, mas o projeto não foi adiante, resultando que um novo filme só sairia em 2006, com Superman – O Retorno, comandado por Bryan Singer.

Resta agora a DC/Warner confirmarem oficialmente o filme e lhe dar uma data de lançamento. Porém, existem duas datas anunciadas com filmes misteriosos pelo estúdio e a maioria acha que são os novos filmes solo de Batman e Superman: 05 de outubro de 2018 e 01 de novembro de 2019.

Superman – O Homem de Aço 2 não tem título oficial, nem data de lançamento, mas deve reprisar o elenco com: Henry Cavill (Superman/Clark Kent), Amy Adams (Lois Lane),  Jesse Eisenberg (Lex Luthor), Diane Lane (Martha Kent), Laurence Fishburne (Perry White), Harry Lennix (general Calvin Swanwick) e Christina Wren (major Ferris). Antes da estreia, o personagem aparece em Liga da Justiça, que estreia em 23 de novembro de 2017

Superman foi criado por Jerry Siegel e Joe Shuster em 1938, estreando na revista Action Comics 01, e desde então é publicado pela DC Comics.

Esquadrão Suicida: Filme derivado com Arlequina está mesmo em produção

Arlequina: a melhor coisa do filme terá projeto próprio.

Arlequina: a melhor coisa do filme terá projeto próprio.

A notícia já tinha sido aventada há algum tempo (veja aqui), mas agora é confirmado: segundo o site The Hollywood Reporter, está em desenvolvimento um spin-off (derivado) focado na Arlequina, a personagem que é o maior destaque de Esquadrão Suicida, filme que adapta as aventuras do grupo de vilões forçados a trabalhar para o Governo dos EUA em troca da redução de pena, publicado nas revistas da DC Comics e levado aos cinemas pela Warner Bros. dentro do mesmo universo ficcional de Batman e Superman. Claro, todo o projeto é centrado na atriz Margot Robbie, que será Produtora Executiva e realmente rouba a cena no filme, e acabou de assinar contrato para desenvolver dois projetos com o estúdio (o outro é a adaptação do livro The Queen of the Air, da escritora Dean N. Jensen), enquanto lança atualmente Terminal.

Esquadrão Suicida acabou de atingir a marca de US$ 700 milhões de bilheteria mundial, o que é um número bastante expressivo, encostando, por exemplo, no filme sensação do ano que foi Deadpool da Fox/Marvel (mas este era Censura 18 anos). Apesar da recepção mista do filme – crítica e público se dividiram entre gostar ou odiar – a obra do diretor David Ayer tem seus méritos – leia a Resenha Crítica do HQRock clicando aqui – e ninguém tem dúvidas de que Margot Robbie é a melhor coisa no filme, interpretando uma personagem dotada de humor e muito carisma, além de ser doida de pedra. Apesar de assassina, o filme mostra algumas nuances mais complexas da Arlequina que podem explicar como ela se aliaria a um grupo de heroínas em prol de algo.

Caçadora, Canário Negro e Batgirl: As Aves de Rapina.

Caçadora, Canário Negro e Batgirl: As Aves de Rapina.

Conforme já havia sido dito, o filme da Arlequina irá reunir outras heroínas da DC Comics, o que aponta diretamente para Birds of Prey, ou Aves de Rapina, no Brasil, a equipe feminina que foi liderada por Barbara Gordon (a Batgirl, mas na época, confinada a uma cadeira de rodas, atuava como Oráculo, uma harker que ajudava os heróis da DC), e teve nomes como Canário Negro, Caçadora, Mulher-Gato e até vilãs, como a própria Arlequina ou Hera Venenosa.

Pensando em um filme, que deve ser chamado mesmo de Aves de Rapina, podemos contar com personagens como como Arlequina, Batgirl, Mulher-Gato e Canário Negro quase com certeza. Outras como Katana (que também está em Esquadrão Suicida), Zatanna e Caçadora serão bastante prováveis também.

As Aves de Rapina foram criadas por Chuck Dixon, Gary Frank e Jordan B. Gorfinkel, na edição especial Black Canary/Oracle: Birds of Prey, de 1996, depois ganhando uma série mensal comandada por Dixon, que era o principal responsável pelas revistas do universo particular do Batman. O apogeu criativo e de sucesso da revista Birds of Prey foi nas mãos da escritora Gail Simone, que ficou entre os números 56 a 108, de 2003 a 2007. A revista foi cancelada no número 127, em 2009,mas foi imediatamente substituída por uma nova numeração (que durou outras 15 edições) e também prosseguiu dentro da empreitada Os Novos 52, a partir de 2011. Entre os desenhistas da série, se destacaram Greg Land, Rick Leonardi, Butch Guice, Amanda Conner, Nicola Scott e os brasileiros Ed Benes e Joe Bennett.

O Esquadrão Suicida.

O Esquadrão Suicida.

***

Suicide Squad, o filme, é escrito e dirigido por David Ayer e o elenco traz: Jared Leto (Coringa), Will Smith (Floyd Lawson/Pistoleiro), Viola Davis (Amanda Waller), Margot Robbie (Harleen Quinzel/ Arlequina), Joel Kinnaman (Rick Flagg Jr.), Jai Courtney (George “Digger” Harkness/Bumerangue), Cara Delevingne (June Moon/Magia),   Jay Hernandez (Chato Santana/ El Diablo), Adam Beach (Christopher Weiss/ Slipknot), Karen Fukuhara (Tatsu Yamashiro/ Katana), Adewale Akinnuoye-Agbaje (Waylon Jones/ Crocodilo), Ed Harris (Rick Flagg Sr.),  Jim Parrak (capanga), Common (papel não-revelado), Ike Barinholtz (Dr. Hugo Strange), com participação especial de Ben Aflleck (Batman) e talvez de Jesse Eisenberg (Lex Luthor). As gravações ocorreram em Toronto, no Canadá. A estreia será em 05 de agosto de 2016.

Chegou a existir um time com o nome de Esquadrão Suicida na DC Comics em 1959, contudo, a encarnação mais famosa da equipe foi criada pelo roteirista John Ostrander (com desenhos de John Byrne) para a edição 03 da minissérie Legends, em 1987. Em seguida, o grupo ganhou até revista própria, sendo desde então, uma parte importante do Universo DC. Em live action, o grupo já apareceu nas séries de TV SmallvilleArrow.

A Arlequina ou Harley Quinn foi criada pelo escritor Paul Dini e o cartunista Bruce Timm, em1992, exclusivamente para o desenho animado Batman – A Série Animada.  aparecendo em Joker’s Favor, o 22º episódio da primeira temporada. De sucesso imediato, a personagem foi mais tarde transposta para os quadrinhos na graphic novel Batman: Harley Quinn, escrita por Dini e desenhada por Yvel Guichet, em 1999, no meio do arco Terra de Ninguém. Sua popularidade a levou a ganhar uma revista própria, que teve 38 edições, entre 2001 e 2004.